Concentração de renda pode ser quase o dobro de dados oficiais

Levantamento da Tendências Consultoria indica que diferença da renda da classe A para classe D/E é de aproximadamente 39 vezes

Foto: Reprodução

Jornal GGN – O abismo social brasileiro pode ser maior do que o oficialmente divulgado pelo governo: cálculos elaborados pela consultoria Tendências mostram que a diferença entre os mais ricos e os mais pobres seria quase o dobro do contabilizado pelos dados oficiais.

De acordo com informações do portal G1, os dados oficiais de renda e desigualdade calculados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) levam em consideração os dados obtidos na Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílio (Pnad), e mostram que a diferença de renda da classe A para a classe D/E é de 21,4 vezes. Ou seja, oficialmente os mais ricos ganham 21,4 vezes mais do que recebem os mais pobres.

Os cálculos da Tendências também usam o recorde de rendas com base em dados da Pnad, mas para mensurar a renda da população que ganha até cinco salários mínimos – e que, em grande parte, é isenta da declaração de Imposto de Renda. Para rendas acima desse patamar, foram usados os dados declarados no Imposto de Renda e que são enviados anualmente para a Receita Federal. Neste caso, a diferença de renda entre a classe A e a D/E sobe para 38,8 vezes.

A renda subestimada pela Pnad fica mais clara quando se estuda o recorte por faixas de renda. Por exemplo: os dados do IBGE mostram a chamada massa de renda (que considera todas as rendas somadas) entre os cidadãos que ganham acima de 160 salários mínimo é de R$ 14,671 bilhões.

Já os dados da Tendências, que são ajustados com os dados da Receita Federal, indicam esse montante sobre para R$ 397,920 bilhões – o que representa uma diferença de 2.612,4%.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

2 comentários

  1. O mais terrível após a PEC da morte é a garantia de renda liquida e certa para rentistas…
    E quanto mais recursos para pessoas que vivem do sistema financeiro, maior é capacidade deles de influenciar, de investir, de gerar mídia em prol da auto manutenção deste estado de coisas!
    A propaganda do sistema chileno correu o mundo por décadas!
    Não haverá dentre aqueles que mais lucram um que queira pensar em dividir o tal bolo com o povo…
    E o povo cada vez mais arrochado, tem menor capacidade de reagir diante das coisas!
    Enquanto o sistema não entrar em colapso isso continuará…
    É como uma piramide onde os lucros dos primeiros vão atrair um numero cada vez maior de participantes, até o Crash do sistema…
    Desapareceu todas as notícias todo drama vivido pelos mais pobres!
    Quem sabe por que isso pode causar mau estar entre os novos ganhadores…

  2. Essa concentração “capitalista” já não reproduz o capital enquanto força produtiva. Penso que é a partir daí que temos que ver o que está acontecendo com a sociedade. Marx é o único ponto de partida que nos livra do circunstancial.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome