Congresso vota 20 vetos presidenciais na terça-feira

Entre os temas que integram a pauta, estão o veto à Lei Aldir Blanc e veto parcial que viabiliza privatização da Eletrobras

Foto: Reprodução

O Congresso Nacional programou para a próxima terça-feira (14/06) uma sessão conjunta para a análise de 20 vetos do presidente Jair Bolsonaro a projetos aprovados pelos parlamentares.

Um dos itens pautados é o veto total (Veto 20/2022) ao projeto de lei que criava a Política Nacional Aldir Blanc de Fomento à Cultura, também conhecida como Lei Aldir Blanc 2 (PL 1.518/2021), que previa repasses anuais de R$ 3 bilhões da União para estados, Distrito Federal e municípios, e estendia por cinco anos um benefício já previsto na Lei Aldir Blanc de Emergência Cultural (Lei 14.017, de 2020).

Também integra a pauta o veto parcial (Veto 36/2021) ao projeto de lei de conversão que modificou a MP 1.031/2021, medida provisória que viabiliza a privatização da Eletrobras. Esse projeto foi transformado na Lei 14.182, de 2021.

Democracia é coisa frágil. Defendê-la requer um jornalismo corajoso e contundente

Junte-se a nós: www.catarse.me/jornalggn

Outro item da pauta é o veto parcial (VET 48/2021) ao PL 12/2021, projeto de lei do senador Paulo Paim (PT). O texto, que acabou sendo sancionado na forma da Lei 14.200, de 2021, altera a Lei de Propriedade Industrial (Lei 9.279, de 1996) para prever a licença compulsória de patentes nos casos de emergência, interesse público ou calamidade pública.

O Veto 33/2021, por sua vez, cancelou integralmente o PLS 293/2009, que inclui o lúpus e a epilepsia na lista de doenças dispensadas do prazo de carência para concessão dos benefícios de auxílio-doença e aposentadoria por invalidez, concedidos pelo INSS.

Segundo a Agência Senado, os vetos presidenciais podem ser derrubados em sessão conjunta do Congresso Nacional (com a participação de deputados federais e senadores), sendo necessários pelo menos 257 votos de deputados federais e 41 votos de senadores. Quando isso não acontece, o veto é mantido.

Leia Também

Servidores públicos alertam para greve nacional

Pazuello entra na mira do Ministério Público Federal em Brasília

Presidente do partido de Bolsonaro defende as urnas

Governo quer desobrigar uso de verba do pré-sal para Fundo Social

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador