Coronavac não tem 90% de eficiência, diz Gorinchteyn

Secretário da Saúde de São Paulo afirma que tal percentual já era esperado, uma vez que o medicamento é preparado com vírus inativos

Jean Gorinchteyn, secretário de Saúde do Estado de São Paulo. Foto: Reprodução

Jornal GGN – A eficácia da Coronavac ficou abaixo de 90%, segundo declarações do secretário da Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, à rádio CBN nesta quinta-feira (24/12).

“Elas produzem uma proteção menor. A vacina da gripe tem uma variação que vai de 40% a 80% em determinados grupos”, disse Gorinchteyn, ressaltando que tal percentual ocorreu pelo fato de o medicamento ser produzido com o vírus (o Sars-CoV-2) inativado.

“Sabemos que a efetividade jamais atingiria 90%. Mas o que nós não imaginávamos era que a empresa queria uma unicidade, um resultado muito próximo em todos os países”, disse o secretário, que também disse que a eficácia da vacina no Brasil será divulgada em estudo preparado com 13 mil pessoas, que deve ser anunciado em até 15 dias.

Enquanto isso, o governo da Turquia anunciou nesta quinta-feira que os resultados preliminares dos testes realizados no país, com algo em torno de 1.300 voluntários, indicaram uma eficácia de 91,2%. As informações são do jornal Folha de São Paulo.

 

 

Leia Também
Coronavírus colocou em xeque o neoliberalismo da América Latina
O que esperar do Plano Nacional de Vacinação: entenda
Relembre: governo testou antiparasitário em pacientes Covid-19 graves
Sequela da Covid-19 é “real, frequente e será uma carga para o sistema de saúde”, diz especialista

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora