Coronavírus: Aprovada MP que autoriza acesso brasileiro a consórcio de vacinas

Com adesão, país poderá acessar um conjunto de nove vacinas em desenvolvimento, além de outras em fase de análise

Foto: Reprodução

Jornal GGN – A Câmara dos Deputados aprovou nesta sexta-feira (18) a Medida Provisória 1003/20, que autoriza a adesão do Brasil ao consórcio Covax Facility, de acesso a vacinas para a Covid-19. O texto segue para análise do Senado.

O relator da MP, deputado Geninho Zuliani (DEM-SP), apresentou parecer com várias alterações em relação à proposta original do Poder Executivo, acatando antecipadamente várias sugestões. O substitutivo foi aprovado de maneira simbólica.

“Diante do aumento nas taxas de incidência e de transmissão, a vacinação em massa deve ser encarada como providência de custo relativamente menor, mais eficiente e promotora da dignidade e do bem-estar do indivíduo, além dos benefícios para a coletividade”, disse.

O consórcio Covax Facility é coordenado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), e envolve governos, laboratórios e fabricantes com o objetivo de garantir o desenvolvimento de vacinas contra o novo coronavírus e o acesso igualitário a elas.

Atualmente, a aliança – formalmente chamada de Instrumento de Acesso Global de Vacinas Covid-19 – reúne mais de 150 países, entre aqueles que já aderiram formalmente ou confirmaram o interesse. Na América do Sul, já participam Argentina, Chile, Colômbia e Paraguai.

A adesão garante o acesso a um portfólio de nove vacinas em desenvolvimento, além de outras em fase de análise. Caberá ao Covax Facility negociar com os fabricantes o acesso às doses das vacinas em volumes especificados, os cronogramas de entrega e os preços.

Além disso, a adesão ao consórcio Covax Facility permitirá ao País negociar melhores termos com várias empresas e melhores condições para garantir o acesso às vacinas em cenário de intensa competição – mas não implica a obrigatoriedade de compra das vacinas, que dependerá de análise técnica e financeira para cada caso. As informações são da Agência Câmara.

 

 

Leia Também
Obrigatoriedade de vacina: Covid-19 não é a primeira, nem a única. Entenda
Expostos, trabalhadores nem sempre encontram amparo legal ao contrair covid-19
Mais 2 milhões de doses da CoronaVac chegam ao Brasil
Ausência de seringas: governo deve garantir vacinação universal, diz Lewandowski

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora