Coronavírus: bolsonaristas apelam para cloroquina e antipulgas

Remédios são distribuídos para apoiadores do presidente, e não existe nenhuma comprovação científica de eficácia contra covid-19

Acampamento bolsonarista em SP, onde pessoas já usaram cloroquina e antipulgas para lidar com sintomas da covid-19. Foto: Reprodução/Fotografia Uol

Jornal GGN – Militantes bolsonaristas já estavam apelando para o automedicamento com hidroxicloroquina, azitromicina e ivermectina (ativo usado em antipulgas) ao sentirem os primeiros sintomas da Covid-19, antes mesmo de o governo Bolsonaro mudar o protocolo e ampliar o uso da cloroquina para casos leves da doença.

De acordo com informações do jornal Folha de São Paulo, os militantes pró-Bolsonaro vinham se automedicando graças a receitas emitidas por um grupo de “médicos do bem”. Os remédios são comprados em grandes quantidades e distribuídos aos apoiadores do presidente.

Em São Paulo, isso tem acontecido em acampamento que está instalado próximo à Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo) há dois meses. Cerca de 60 militantes bolsonaristas estão lá para manifestar apoio ao presidente e repúdio ao governador João Doria, pedindo o impeachment do tucano por decretar quarentena e impedir a retomada dos serviços não essenciais.

O próprio Ministério da Saúde reconhece que não existem evidências suficientes para comprovar a eficácia de tais medicamentos, e prevê a assinatura de um termo de consentimento do paciente, que cita risco de piora da condição clínica.

Além disso, diversos estudos mostram que tais medicamentos não só não têm efeito contra a Covid-19 como podem aumentar o risco cardíaco e até mesmo levar à morte.

Contudo, já é possível ver o aumento da pressão pela indicação do uso da cloroquina no tratamento por conta da mudança de protocolo do governo federal. O presidente Jair Bolsonaro também aproveitou uma live para ironizar: “Quem é de direita toma cloroquina. Quem é de esquerda toma Tubaína”, disse.

 

Leia também:  Como explicar para Argentina o que acontece no Brasil?, por Santiago Gómez
Leia Também
Vítima fatal do coronavírus, deputado Gil Vianna usou cloroquina
Coronavírus: canais de fake news têm maior alcance do que os de dados reais
Brasil pode ser isolado do resto do mundo se não combater coronavírus com rigor
GGN prepara dossiê sobre trajetória de Sergio Moro. Saiba como apoiar

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

6 comentários

  1. Estudos recentes da Universidade de Scumbags no Escrotostão concluiram que o hipoclorito de sodio em doses de 2% inativam o Sars-Covid-2. Assim os bolsominions, como cobaias voluntárias para o bem da humanidade já podem acrescentar um copo diário de água sanitária diluída ao seu coquetel de anti-malaria, antibiotico e pulicida. Para turbinar o efeito uma xícara de
    merda…alheia! Favor não subnotificar…

    • Essa meia dúzia de GADO pingado aglomerado nas portas das instituições democráticas mentem, desvaladamente, pra induzir as pessoas a CONSUMIR e assim DESOVAR o estoque de cloroquina que o BOZO e corja investiu.

  2. Portaria 2013 da Vigilancia sanitária proibe que estabeleciementos comercias comercializem ovos frito com gema mole ou ovos mexidos. Ainda mais se forem consumidos em associação com sal que pode provocar hipertensão, falencia renal e derrame cerebral.

    Ovos fritos mata.

  3. Deixa que tomem a tal cloriquina, não adianta repetir que nao tem eficiencia. Eles devem morrer como quiserem e quando o pulmão falhar poderão lembrar do bozo, mas pelo menos nao morrerão se coçando gracas ao antipulgas.

    Ja bozo só se f*** com suas tentativas de ser engraçado. O mundo ja passou por Mussolini e hitler para entender que genocidas nao têm nada de engraçado. .

    https://www.jb.com.br/economia/2020/05/1023848-afrebras-repudia-piada-de-mau-gosto-de-bolsonaro-com-tubaina.html

  4. A ivermectina é como antiparasitário para equinos um super produto!O melhor Vermifugo jamais usado nesta espécie,desde seu lançamento mundial realizado em São Paulo.Se não me falha a memória, em 1983.Segue em uso com pouca resistência,até hoje. Imagimo que o lançamento aqui(Br), tenha sido por estratégia,defesa mais fácil de problemas pós uso.Testes no terceiro mundo… Daqui evolui para uso em pequenos animais e humanos,pelo menos…

  5. É só uma gripezinha. Logo, quem for bostonarista, tome (no caneco) apenas açaí da Wal e coma o feijão do Pa$tor Waldomiro

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome