Coronavírus: Bolsonaro insiste em histeria, e Trump trabalha em ajuda

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou que está trabalhando em um pacote de estímulo à economia do país de aproximadamente US$ 850 bilhões

Donald Trump estuda plano agressivo contra coronavírus - sem esquecer de sua reeleição. Foto: Reprodução

Jornal GGN – Enquanto o presidente Jair Bolsonaro insiste na tese de que o coronavírus não é tudo isso, e que está havendo uma histeria com relação ao assunto, um de seus únicos aliados (por conveniência ou não) nas Américas tem adotado uma postura bem diferente.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou que está trabalhando em um pacote de estímulo à economia do país de aproximadamente US$ 850 bilhões, naquele que é considerado o plano mais agressivo por parte da Casa Branca em resposta à crise.

Inicialmente Trump chegou a minimizar as consequências do coronavírus mas, segundo informações do jornal Folha de São Paulo, as discussões passaram a ter caráter de urgência por conta da gravidade dada ao cenário econômico pelo próprio presidente.

A ideia do pagamento direto a cidadãos ganhou apoio de republicanos e democratas e reflete o esforço bipartidário, mesmo em ano de eleição, para tentar vencer a pandemia do coronavírus. O valor a ser enviado não ficou definido e, segundo o secretário do Tesouro americano, Steve Mnuchin, o prazo para que o envio seja feito aos cidadãos é de até duas semanas.

O pacote de US$ 850 bilhões será além dos US$ 100 bilhões aprovados pela Câmara na semana passada, que prevê licença médica paga, seguro-desemprego e outros benefícios para trabalhadores afetados pela pandemia.

A Casa Branca também pretende repassar cerca de US$ 50 bilhões para o setor de empresas aéreas, diretamente afetado pelas restrições de voos entre os EUA e a Europa. Além disso, o Federal Reserve (Banco Central norte-americano) afirmou que irá relançar as compras de dívida corporativa de curto prazo, um mecanismo que foi usado na época da crise financeira de 2008.

Leia também:  Coronavírus é a pior falha de inteligência da história americana, diz Micah Zenko

Em meio a essa movimentação, o componente eleitoral não pode ser deixado de lado – de olho na reeleição, Trump tem plena consciência que uma crise grave pode comprometer suas chances de vencer a disputa.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

1 comentário

  1. Bem, apesar deste elemento ser um teleguiado desprezível, neste assunto ele tem total razão. Toda a mídia ocidental corporativa está anabolizando a histeria para camuflar o estouro da bolha das bolsas. Muito simples e claro. Mas… A população bovinamente prefere entrar na onda e agir como gado irracional. A taxa de mortalidade do Corona é 3,9, sendo que da gripe COMUM é de 5,0. Segundo dados da ABRAMEDE.
    Precisa desenhar???

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome