Coronavírus: Brasil pode ter 21 mil mortes a mais

Diagnósticos por síndrome respiratória aguda grave desafiam notificações oficiais; dados de consórcio de imprensa registram 50 mil vítimas fatais

Jornal GGN – Os últimos dados oficiais sobre a pandemia do coronavírus no Brasil mostram que, até o momento, cerca de 50 mil pessoas perderam a batalha para o vírus, mas pelo menos 21 mil mortes estão sob suspeita.

Os dados que permitem tal prognóstico constam no Sivep-Gripe, sistema utilizado pelo SUS para notificar e acompanhar os casos suspeitos que chegam aos hospitais e postos de saúde. De acordo com o jornal O Globo, em um primeiro momento 21.289 mortes foram inicialmente atribuídas à uma síndrome respiratória aguda grave (SRAG) “inespecífica”, de origem não identificada.

Esse termo é aplicado quando um paciente apresenta sintomas de síndrome gripal que se agrava, e depende de investigação para indicar seu agente causador. De forma suspeita, o tipo inespecífico (quando o agente não é identificado) tem sido frequente onde existe uma baixa prevalência de Covid-19.

De janeiro a maio de 2020, o Brasil registrou 16 vezes esse diagnóstico em comparação com a média dos sete anos anteriores, enquanto os  casos de SRAG específica se mantêm na média.

 

Leia Também
Coronavírus: Governo Doria omite 11.000 casos da capital, destaca Revista
14 estados têm queda de internações por coronavírus
Do Banestado à Lava Jato: o passado de Sergio Moro

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome