Coronavírus: Casos em crianças e adolescentes disparam em Curitiba

Foram registrados 6691 novos casos de covid-19 nas faixas etárias de 0 a 19 anos entre os meses de novembro e dezembro de 2020

Foto: Reprodução

Jornal GGN – Os casos de covid-19 em crianças e adolescentes na cidade de Curitiba disparou ao longo dos últimos dois meses de 2020: entre novembro e dezembro, foram 6691 casos registrados nas faixas etárias entre zero e 19 anos, o que representa um aumento de 46,06% ante os 4.581 registros vistos entre março e outubro.

Dados divulgados pelo jornal Bem Paraná mostram que, em dois meses, algumas faixas etárias apresentaram um registro de casos muito maior do que o visto nos oito meses anteriores da pandemia. Por exemplo: foram registrados 722 casos de covid-19 na faixa etária entre cinco e nove anos até o dia 31 de outubro e, em novembro e dezembro, foram 759 confirmações.

Nas crianças entre 10 a 14 anos, eram 874 registros até o final de outubro e, em novembro e dezembro foram 1173 novos casos. O aumento mais expressivo foi visto entre os adolescentes: a faixa entre 15 e 19 anos registrou 1914 casos em oito meses, e 3952 em apenas dois meses.

E as aglomerações feitas nas festas de final de ano já mostram seu efeito: o Hospital Pequeno Príncipe, referência pediátrica na capital do Paraná, já contabiliza aumento nas consultas ambulatoriais e em internações. A orientação para quem viajou no período é realizar um acompanhamento pelos próximos sete dias, para verificar o desenvolvimento de qualquer sintoma.

Os sintomas de covid-19 em crianças e adolescentes são mais leves, e a possibilidade de serem assintomáticas é igualmente comum, mas existe um sintoma que tem surgido entre os infectados: taquicardia e um tipo de miocardite, que é uma infecção no coração.  Por conta disso, é importante que as crianças e adolescentes adotem os mesmos cuidados prescritos para prevenção e combate ao coronavírus (uso de máscaras, higienização das mãos, isolamento e distanciamento social).

 

Leia Também
Covid-19: AstraZeneca concorda com adiamento de segunda dose da vacina
Caiado proíbe que vacinação contra Covid-19 em Goiás seja obrigatória
Indonésia começa vacinação com a Coronavac e põe idosos no final da fila
Bolsonaro tentou sabotar combate ao Covid-19, diz relatório mundial

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora