Coronavírus: Estudo prevê 125 mil mortes no Brasil até agosto

Antes do país ser considerado o novo epicentro da pandemia, a previsão do IHME era de de 88.305 óbitos por coronavírus até 4 de agosto

Foto: André Penner/AP

Jornal GGN – Com índices estarrecedores da Covid-19, o Brasil pode ter um salto no número de mortes em decorrência da doença nos próximos meses. Segundo dados do IHME, instituto de métrica da Universidade de Washington, serão 125 mil vítimas fatais do vírus até o início de agosto.

O levantamento, usado como modelo pelo governo norte-americano para monitorar os números de coronavírus no país, usa uma janela de intervalo ampla para chegar aos resultados. No Brasil a pesquisa foi feita nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Amazonas e Pernambuco, informou o jornal Folha de S. Paulo. 

Antes do país ser considerado o novo epicentro da pandemia, a previsão do IHME era de 88.305 mortes em decorrência do novo coronavírus até 4 de agosto,  em uma janela entre 30.302 e 193.786 casos. 

Entretanto, os dados atualizados apontam um novo intervalo entre 68.311 e 221.078 mortes até 4 de agosto. Além disso, o pico de mortes dentro de 24 horas deve acontecer em 13 de julho, com 1.526 óbitos, no Brasil.

Segundo a reportagem “a partir de agosto, então, a curva de mortes diárias começa a descer, mas ainda na faixa de quase 1,4 mil a cada 24 horas naquele mês”.

Hoje já são mais 23 mil vidas perdidas e 377.711 pessoas infectadas pela Covid-19 no Brasil. Mas, apesar do número aumentar todos os dias, os governos de diferentes estados pretendem afrouxar as medidas de isolamento, uma das principais ações na contenção da pandemia.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Xadrez dos Bolsonaro e da expansão das milícias do Rio de Janeiro para Angra, por Luis Nassif

1 comentário

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome