Coronavírus: Jurista Sylvio Capanema morre aos 82 anos

Desembargador aposentado, jurista foi professor de Direito Civil e um dos autores do projeto que gerou a Lei do Inquilinato

Sylvio Capanema, desembargador aposentado e jurista, faleceu na madrugada deste sábado no Rio de Janeiro. Foto: Reprodução/AMAERJ

Jornal GGN – O jurista Sylvio Capanema morreu na madrugada deste sábado no Rio de Janeiro, vítima do novo coronavírus.

Segundo informações do portal UOL, ele ficou internado por quase três meses no Hospital Copa Star, na zona sul da capital fluminense, mas não foram dados mais detalhes.

Desembargador aposentado, Capanema foi advogado, professor de Direito Civil e um dos autores do projeto de lei que resultou na Lei do Inquilinato (8.245/91). Ele era pai dos juízes do TJ-RJ Marcia Santos Capanema de Souza, João Paulo Knack Capanema de Souza e Flávia Santos Capanema de Souza.

Natural do Rio, Sylvio Capanema formou-se em 1960 pela Faculdade Nacional de Direito. Especialista em Direito Imobiliário, Capanema foi coautor do projeto de lei que resultou na Lei do Inquilinato (8.245/91). De 1970 a 1994, ele foi consultor jurídico da Associação dos Proprietários de Imóveis do Rio de Janeiro e da Confederação das Associações de Proprietários de Imóveis do Brasil. Fundou a ABAMI (Associação dos Advogados do Direito Imobiliário).

Após 33 anos de atuação como advogado, Capanema ingressou na Magistratura do Estado do Rio de Janeiro em 1994, pelo quinto constitucional. No Tribunal de Justiça do Rio, Capanema atuou na 10ª Câmara Cível, junto ao atual ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Luiz Fux. Foi 2º vice-presidente da Corte na gestão do desembargador Sergio Cavalieri Filho (2005-2006) e 1º vice-presidente na gestão do desembargador Murta Ribeiro (2007-2008). Integrou o Órgão Especial e o Conselho da Magistratura do TJ-RJ.

Capanema aposentou-se compulsoriamente em abril de 2008, ao completar 70 anos. Em seguida, ele voltou a advogar e criou o escritório Sylvio Capanema de Souza Advogados Associados, no Centro do Rio.

Capanema foi diretor Cultural da AMAERJ no biênio 2014-2015, além de atuar como professor titular de Direito Civil da Universidade Candido Mendes, professor emérito da EMERJ (Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro) e conferencista das Universidades de Coimbra (Portugal) e Salamanca (Espanha).

 

Leia Também
Coronavírus: Brasil pode ter 21 mil mortes a mais
Coronavírus: Governo Doria omite 11.000 casos da capital, destaca Revista
Pandemia está ‘acelerando’ em fase ‘perigosa’, alerta OMS
Covid-19: O problema de chegar a um milhão é o que vem na sequência
Do Banestado à Lava Jato: o passado de Sergio Moro

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome