Coronavírus: Ministério confirma 38.406 óbitos e 739.503 infectados, já em fase de recontagem

Disparidade entre dados, mostra que estados registraram 2.581 casos e 91 óbitos a mais que o total divulgado pelo Ministério de Bolsonaro

Reprodução

Jornal GGN – O Brasil registra nesta terça-feira, 9 de junho, 739.503 infectados e 38.406 óbitos confirmados em decorrência da Covid-19, segundo o Ministério da Saúde.

A pasta informa que foram confirmados 32.091 novos casos e 1.272 novas mortes pela  doença nas últimas 24 horas. 

Entretanto, estes números são resultado da ‘recontagem’ da pandemia anunciada pelo governo de Jair Bolsonaro (sem partido), que alegou omissão das secretarias estaduais de saúde sobre os dados e, simplesmente, parou de divulgar o balanço diário do Ministério desde a sexta-feira, 6 de junho. 

Após a tentativa de omissão do governo federal, jornais se uniram em consórcio para divulgar os números da pandemia com base nos dados disponibilizados pelos estados. Esse balanço apresenta disparidade em relação os dados do Ministério.

De acordo com informações do consórcio desta terça-feira, 31.197 pessoas tiveram o diagnóstico da doença confirmado nas últimas 24 horas, totalizando 742.084 infectados no Brasil. São 2.581 casos a mais em relação ao levantamento do Ministério. 

Além disso, os estados informam 38.497 mortes pelo vírus, 1.185 confirmadas nas últimas 24 horas. São 91 óbitos a mais do que o divulgado pela pasta de Bolsonaro. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

5 comentários

  1. Até o próximo fim de semana, ultrapassaremos o Reino Unido, consolidando o lamentável SEGUNDO lugar no MUNDO, tanto em MORTES quanto em CASOS totais.
    Lembrando que somos o país tristemente LÍDER mundial na VELOCIDADE de EXPANSÃO da doença.
    No fim de semana seguinte alcançaremos a marca de 1 MILHÃO de casos e cerca de 50 MIL mortos.
    Tudo sem considerar subnotificações, pois graças a revoltante inação do governo federal, nem testes suficientes temos.
    Quantas mortes a menos teríamos se pudessemos testar mais, para um mapeamento eficaz?
    Se tivéssemos mais recursos (Epi’s, respiradores, leitos, mais médicos e enfermeiros e dinheiro efetivo) para que empresas e pessoas pudessem se expor menos e os doentes e profissionais corressem menos riscos?
    Enquanto estamos de luto, este desgoverno “acima de tudo” comemorará a liderança mundial junto com seu “modelo” America First.

  2. VIRU$$$$ LETAL,TÁ ACABANDO COM DIREITOS,EMPREGOS, LIBERDADE,PSICOLÓGICO DAS PESSOAS E OLHA Q A SUA LETALIDADE É SÓ DE 5%,IMAGINA SE ELE FOSSE TUDO ISSO Q A MÍDIA DIZ Q ELE É,IRRESPONSÁVEIS E FACILMENTE MANIPULÁVEIS,TEM Q TOMAR CHICOTE NAS COSTAS MESMO(KKKKKK)
    Obs:Pq ninguém diz q os números de infectados está superhipersubnotificados?Pq aí a tx de letalidade ABAIXARIA E MUITO (não saiam na rua senão morrem viu!)

  3. VCS TEM 5% DE CHANCE DE MORRER POR CAUSA DO VÍRU$$(vá.clna) FIQUEM EM CASA CAGÕES !!
    Obs:Nem tô considerando a hipersupersubnotificação de infectados(abaixa a tx letalidade pra uns 1%)
    Obs2:Enquanto isso passam a boiada contra o povão,aí q medo do vírus !!

    • A letalidade da pandemia nos neurônios de sua cabecinha deve estar próxima dos 100%.
      Admitindo que a letalidade real seja a sua, de 1% (é menor ainda, pois a subnotificação causada pela escassez de recursos advinda da falta de ação do governo federal) está estimada em 7 a 10 vezes mais).
      A pergunta que deve ser feita é: QUANTAS pessoas morreram e quantos familiares foram afetados?
      O índice de letalidade é mero efeito do cálculo destas mortes.
      Alterar o n° de casos altera o índice, mas não as mortes.
      Será que você pode entender isso?
      Ou seu crânio está cheio da massa resultante dos seus xingamentos aqui?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome