Coronavírus: Prefeitura de SP pode solicitar leitos particulares

Medida pode ser adotada ‘após o esgotamento’ de outras iniciativas, segundo declarações da associação nacional de hospitais

Foto: Reprodução

Jornal GGN – A Prefeitura de São Paulo poderá solicitar leitos ociosos da rede hospitalar para uso. A lei que trata do tema foi publicada no Diário Oficial da Cidade nesta sexta-feira.

Além do uso dos leitos, a lei determina que a Prefeitura poderá oferecer vagas de hospedagem em hotéis e pousadas para profissionais de saúde, pessoas em situação de rua e mulheres vítimas de violência.

Segundo informações do jornal O Estado de São Paulo, a Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp) afirmou que tal mecanismo está previsto, mas os pedidos devem ser feitos “de forma planejada e ordenada” caso eles ocorram. De acordo com a gestão municipal, o objetivo é “maximizar o atendimento e garantir tratamento igualitário”.

A taxa geral de ocupação dos leitos de UTI dos 20 hospitais municipais de São Paulo está em 72%, mas a rede privada não apresenta um balanço semelhante – contudo, a associação dos hospitais particulares diz que ocorreu um aumento nos últimos dias, e não só de pacientes de covid-19.

 

Leia Também
Teto de gastos retirou proteção social necessária para esta pandemia, diz estudo
Covid-19: onde estamos, para onde vamos, o que fazer? Por Felipe Costa

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

3 comentários

  1. É incrível q só nessa altura a prefeitura AVENTE a hipótese de alojar desabrigados. O “interesse” pelos desassistidos é tamanho q os hospitais particulares não têm com q se preocupar. Sempre haverá lugar para os privilegiados, não importa quão grande seja o efeito da pandemia.

  2. “A taxa … de ocupação … dos 20 hospitais municipais … está em 72%, mas a rede privada não apresenta um balanço semelhante – contudo, a associação dos hospitais particulares diz que ocorreu um aumento nos últimos dias…”
    Ou seja: caso tenhamos leitos disponíveis (mas não vamos dizer claramente qual a nossa capacidade ociosa), quem sabe, se não houver outro jeito, dentro do limite da nossa operação, que não prejudique o excelente serviço que prestamos aos nossos clientes, com cloroquina e tudo, a gente sede uns leitozinhos aí pra essa gente que não fez por merecer ($$$) o alto padrão de atendimento que nós oferecemos.

  3. É interessante o “pode”……tipo vamos pedir com muita educação e humildade, a permissão aos honoráveis hospitais privados, se eles concordam em não deixar a patuleia morrer nas calçadas ou se isso vai incomodar muito os olhos e narizes, da “VIP” clientela………Nas Itália, Espanha e França os gov requisitou/exigiu o uso dos hospitais e clinicas privadas….e dos hotéis, inclusive, para alojar e isolar gente contaminada com sintomas leves ou assintomáticas, e nos aqui no “pode”…..

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome