Coronavírus: SP desiste de usar doses disponíveis da CoronaVac para primeira dose

Governo de João Doria defende não reservar 50% dos medicamentos disponíveis para uso na segunda aplicação, mas irá encaminhar segunda dose para municípios

Foto: Reprodução

Jornal GGN – A falta de respaldo do governo de Jair Bolsonaro levou o governo de São Paulo a desistir da ideia de usar todas as doses atualmente disponíveis da CoronaVac , desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac, na primeira dose.

Segundo o jornal Folha de São Paulo, a gestão de João Doria (PSDB) é contra a diretriz do Ministério da Saúde de que as secretarias de Saúde reservem 50% das doses de imunizante em estoque para a segunda dose.

O plano do governo paulista é aplicar a primeira dose no máximo de pessoas possível agora, e oferecer a segunda dose nas futuras remessas de vacina do Instituto Butantan, respeitando o intervalo de 28 dias.

Contudo, a falta de confirmação do governo federal e sem garantia de que mais vacinas estarão disponíveis no futuro, o governo Doria declarou que metade das doses disponíveis ficará guardada para a segunda aplicação. As doses guardadas começam a ser distribuídas para os municípios nesta semana.

 

 

Leia Também
Saúde assina na próxima semana a compra de mais 54 milhões de doses da Coronavac
Denúncia contra Bolsonaro por ajudar a espalhar o coronavírus é encaminhada à PGR
Vacina da J&J aparece como alternativa, mas governo não fechou acordo de compra
Bolsonaro admite recriar ministérios após eleição parlamentar
“Se corrupção mata, desigualdade, violência, descaso e negacionismo também podem matar”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome