Coronavírus: Trump é contra resolução que flexibiliza acesso brasileiro à futura vacina

Apesar de concordar com parte do documento, os EUA enviaram texto à OMS contra alguns artigos específicos da resolução que poderia beneficiar o Brasil

Foto: Arquivo/EBC

Jornal GGN – A Organização Mundial da Saúde (OMS) aprovou nesta terça-feira, 19 de maio, uma resolução que apoia o acesso de governos parte do órgão a uma futura vacina contra o novo coronavírus, independente das patentes. Na contramão brasileira, os Estados Unidos se posicionou contra a ação. 

“Sem o governo americano, porém, a resolução fica enfraquecida e diplomatas temem que ela se torne letra morta”, escreveu o colunista Jamil Chade, no Uol.

O documento aprovado pelos 194 países parte da OMS, flexibiliza o acesso a uma futura vacina contra o vírus, por meio da quebra de patentes que possam ser empecilho para que as nações mais pobres tenham acesso ao produto.

Mas, após ameaçar sair da OMS, os EUA encaminharam texto à organização sobre alguns artigos específicos da resolução que poderia beneficiar o Brasil. 

“Os Estados Unidos reconhecem a importância do acesso a produtos de saúde acessíveis, seguros, de alta qualidade e eficazes e o papel fundamental que a propriedade intelectual desempenha no incentivo ao desenvolvimento de novos e melhores produtos para a saúde. No entanto, como redigido atualmente, os parágrafos enviam a mensagem errada aos inovadores que serão essenciais para as soluções que o mundo inteiro precisa”, declarou o país norte-americano. 

Para Chade, o posicionamento dos EUA pretende “preservar a patente, mesmo diante de uma pandemia”, uma vez que “a sugestão de Washington é para que governos negociem com empresas, e não quebrem patentes”. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  GGN Covid: últimos dados da União Europeia mostram Brasil com 25% dos óbitos totais

6 comentários

  1. É impressionante, mas várias vezes, ao longo desses últimos dois anos, vi pessoas pobres e de classe média baixa, lá nas franjas do Grande Recife, dizendo-se fãs de Donald Trump. Engraçadíssimo. Sentem-se os próprios WASPs (brancos, anglo-saxões e protestantes).

    4
    2
  2. Americano é isso aí. O que vale para eles é muito $$$$$$$, o resto f***-se.
    Na realidade, este amor por “minha dinheirinha” é tipica de conservadores e os que se situam na extrema direita. Se dizem cristãos, citam versiculos da biblia a todo momento, mas o amor que possuem pelo vil metal não esconde o quanto são mesquinhos e, por conseguinte, distantes daquilo que pregam pois, na verdade não acreditam em Deus ou inferno e por isso praticam tanto mal contra os desfavorecidos, retirando destes qualquer direito a uma vida menos sofrida.

    4
    1
    • É no queixo mas, nós brasileiros, não aprendemos com a história, com a sabedoria dos mais experientes e sábios e com a a própria vivência que nos dá exemplo de que, o que já falaram uma vez, se cumpre muito bem agora: “os EUA não têm amigos, têm interesses”.
      Que está lição sirva de mais um exemplo para nós.
      Sebastião Farias
      Um brasileiro nordestinamazônida

    • Se acha ruim essa postura seja melhor que esses cristãos e doe os seus bens aos pobres! Será considerado o verdadeiro cristão 😉

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome