CPI da Covid não vai acabar em pizza, diz Omar Aziz

Em entrevista, presidente da comissão diz que o fato de não frear o alvo é um diferencial de todas as investigações dos últimos anos

Senador Omar Aziz (PSD-AM), presidente da CPI da Covid. Foto: Reprodução/Senado Federal

Jornal GGN – A investigação conduzida pela CPI da Covid será histórica, mas ela deve se deter à proatividade em busca de respostas para não esvaziar o assunto e deixar os culpados escaparem. A análise é do presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito, senador Omar Aziz (PSD-AM).

“Antes, quando abria uma CPI estancava os desvios, a abertura da CPI da Covid-19 não estanca o vírus”, disse Aziz em entrevista à CNN Brasil, defendendo que os trabalhos sejam conduzidos para formular soluções e gerar responsabilização dos culpados nos desvios de recursos e no aumento das mortes pelo país.

Segundo Aziz, o plano de trabalho da comissão será estabelecido nesta quinta-feira (29/04), quando os requerimentos serão analisados – contudo, o senador afirmou que os primeiros a serem ouvidos serão os gestores que ocuparam o cargo de ministro da Saúde ao longo da pandemia (Luiz Henrique Mandetta, Nelson Teich e Eduardo Pazuello, além do atual ministro, Marcelo Queiroga).

“Eu, como presidente da CPI, quero uma comissão extremamente técnica. Não quero levar para o campo político porque isso não vai trazer ninguém de volta e muito menos vai ajudar a salvar vidas que poderão se perder durante a pandemia”, disse. “Não dá para acabar em pizza uma CPI com 400 mil óbitos e que no curso dela chegará a 500 mil mortes (…) Não dará em pizza”.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora