Cuba testa o que pode ser a primeira vacina contra Covid-19 desenvolvida na América Latina

Outros países da região fecharam parceria com laboratórios europeus ou asiáticos para produzir a vacina contra covid-19

Jornal GGN – Cuba iniciou na segunda (24) os testes clínicos em humanos da vacina contra coronavírus. Se der certo, esta pode vir a ser o primeiro imunizante desevolvido por um país da América Latina. Até agora, países como Brasil, México e Argentina fecharam parcerias com laboratórios europeus ou asiáticos, para reproduzir a vacina em seus territórios.

Segundo informações do G1, os resultados dessa fase de testes da vacina cubana, a Soberana 01, será conhecido em fevereiro de 2021. O imunizante será aplicado em um total de 676 voluntários, entre 19 e 80 anos. O Centro Nacional de Toxicologia (Cenatox), em Havana, executa a fase de testes.

Cuba tem 11 milhões de habitantes e registra 3,7 mil casos de coronavírus e 91 mortes, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins.

O Brasil tem parceria com a AstraZeneca para produzir a vacina de Oxford com a FioCruz. A empresa chinesa Sinovac testa sua vacina em parceria com o Instituto Butantan, em São Paulo.

Recomendado:

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora