Damares Alves não gasta um centavo com políticas LGBT

Ministério dos Direitos Humanos não gastou nada dos R$ 4,5 milhões orçados para a promoção e defesa LGBT+; país é o que mais mata travestis e trans no mundo

Damares Alves, ministra de Mulher, Família e Direitos Humanos. Foto: Valter Campanato/Ag. Brasil

Jornal GGN – O Ministério da Mulher, Família e dos Direitos Humanos não gastou nenhum centavo da verba de R$ 4,5 milhões direcionada à Diretoria de Políticas de Promoção e Defesa dos Direitos LGBT no ano de 2020.

Já a Secretaria Nacional de Proteção Global, que engloba a Diretoria LGBT, pagou R$ 8,5 milhões dos R$ 40,3 milhões orçados em 2019.

A revelação é do jornalista Guilherme Amado, da revista Época. No ano de 2019, a pasta comandada por Damares Alves usou apenas 4,3% do total – ou seja, R$ 111,6 mil de um orçamento de R$ 2,6 milhões.

Segundo a Antra (Associação Nacional de Travestis e Transexuais), o Brasil é o país que mais mata travestis e transexuais no mundo, com uma morte a cada 48 horas. Em 2020, foram 151 assassinatos. E no mês de janeiro, que celebra o Dia da Visibilidade Trans, uma adolescente trans de 13 anos foi morta na última segunda-feira (04/01) no interior do Ceará, tornando-se assim a mais jovem transexual assassinada no país: em 2017, a vítima mais jovem tinha 17 anos; em 2018, 16 anos; em 2019 e 2020, 15 anos; e em 2021, 13 anos.

(com informações da Folha de São Paulo)

 

 

Leia Também
Direitos das crianças e adolescentes em risco: Governo Bolsonaro paralisa Conanda
Relembre: Sob Bolsonaro, comissões sobre vítimas da Ditadura ficam desamparadas
OAB contesta no STF anulação de anistias políticas pelo ministério da Damares

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Agência Xeque: jornalista espalha fake news sobre a covid

1 comentário

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome