Damares ameaça distribuir processos após Folha revelar ação para impedir aborto

"Terá que provar isso na Justiça a partir de agora. Espero que se retrate, cara militante", escreveu a ministra a uma colunista da Folha

Jornal GGN – A ministra dos Direitos Humanos reagiu com ameaças de processo jurídico às críticas recebidas no Twitter após uma reportagem da Folha de S. Paulo revelar que ela atuou pessoalmente para impedir o abortamento em uma criança capixaba estuprada pelo tio.

Damares mandou oferecer vantagens financeiras para o Conselho Tutelar dissuadir a família sobre o procedimento amparado pela lei. Além disso, enviou assessores para pressionar a avó da menina de 10 anos. Membros da equipe são investigados pelo vazamento de dados da criança para Sara Giromini divulgar na internet.

“Novamente a Folha de SP publica mentiras sobre a minha atuação e o trabalho de nossos técnicos. Entraremos imediatamente com pedido de resposta. Mais uma vez faremos o departamento jurídico do jornal trabalhar”, escreveu Damares no Twitter.

Em resposta, a colunista da Folha, Mariliz Pereira Jorge, cobrou demissão de Damares: “Ministra, um pedido de demissão seria o mais adequado. Usar a máquina do governo pra tentar subornar funcionários públicos e para assediar cidadãos é crime”, disse.

Damares reagiu com ameaça de processo: “Essa acusação que você faz é grave. Tem provas? Testemunhas? Como isso seria feito, se estamos falando de um programa do Ministério que é efetivado a partir de emendas parlamentares? Terá que provar isso na Justiça a partir de agora. Espero que se retrate, cara militante.”

A antropólogo, advogada e uma das coordenadoras do Instituto Anis, Debora Diniz, também expôs a atuação de Damares e recebeu uma intimação da ministra.

 

Leia também:  Região Nordeste foi a que mais recebeu recursos de emendas em 2020

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

6 comentários

  1. Essa Damares está se mostrando um tigre, sim, mas um tigre de papel. Tirando seus cada vez menos seguidores, o poder dessa senhora parece que decresce dia a dia, ainda mais com a imprensa expondo seus delírios e – efetivamente – crimes. Ou justamente por isso.

    Tudo indica que terá o mesmo caminho que Dallagnol, outro desses que usa da fé dos incautos para sua glória pessoal… Ungidos, bah! “Eu não sou dono da verdade, a verdade é que me possui!”, rs…

  2. Quanto mais ameaça, mais se complica…
    porque assim podemos entender melhor o que motivou a primeira tentativa de interferência nos procedimentos legais para o aborto

  3. A proselitista ministra foi chamada à falas e ficou incomodada com seus próprios atos.
    Não é a primeira vez que o primeiro juiz de uma pessoa é o espelho.

  4. …”e terá que responder a isso”… Damares é fraca em gramática da língua portuguesa. “Responder ‘a’ isso” é uma coisa e “responder ‘por’ isso” é outra, totalmente diferente. Volta pro ensino fundamental, Damares.

  5. Quem conhece o ambiente de igreja evangélica sabe que com essas ações ela ganha capital político nos meios fundamentalistas. Todo evangélico fundamentalista tem como regra primeira seguir os dogmas da crença contra todos os demais valores. Nesse caso, Damares tem a seu favor o discurso que “lutou contra tudo e todos em prol dos valores do reino de Deus”. Será homenageada até o fim da vida. Não sei se é suficiente para exercer influência duradoura fora dos meios evangélicos, mas tem acolhida certa no âmbito da maioria das igrejas.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome