Damares ameaça distribuir processos após Folha revelar ação para impedir aborto

"Terá que provar isso na Justiça a partir de agora. Espero que se retrate, cara militante", escreveu a ministra a uma colunista da Folha

Jornal GGN – A ministra dos Direitos Humanos reagiu com ameaças de processo jurídico às críticas recebidas no Twitter após uma reportagem da Folha de S. Paulo revelar que ela atuou pessoalmente para impedir o abortamento em uma criança capixaba estuprada pelo tio.

Damares mandou oferecer vantagens financeiras para o Conselho Tutelar dissuadir a família sobre o procedimento amparado pela lei. Além disso, enviou assessores para pressionar a avó da menina de 10 anos. Membros da equipe são investigados pelo vazamento de dados da criança para Sara Giromini divulgar na internet.

“Novamente a Folha de SP publica mentiras sobre a minha atuação e o trabalho de nossos técnicos. Entraremos imediatamente com pedido de resposta. Mais uma vez faremos o departamento jurídico do jornal trabalhar”, escreveu Damares no Twitter.

Em resposta, a colunista da Folha, Mariliz Pereira Jorge, cobrou demissão de Damares: “Ministra, um pedido de demissão seria o mais adequado. Usar a máquina do governo pra tentar subornar funcionários públicos e para assediar cidadãos é crime”, disse.

Damares reagiu com ameaça de processo: “Essa acusação que você faz é grave. Tem provas? Testemunhas? Como isso seria feito, se estamos falando de um programa do Ministério que é efetivado a partir de emendas parlamentares? Terá que provar isso na Justiça a partir de agora. Espero que se retrate, cara militante.”

A antropólogo, advogada e uma das coordenadoras do Instituto Anis, Debora Diniz, também expôs a atuação de Damares e recebeu uma intimação da ministra.

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora