Decisão da Anvisa pode facilitar entrada da Sputnik V no Brasil

Agência reguladora deve retirar exigência de pesquisa na terceira fase esteja em andamento dentro do país; decisão também deve favorecer Bharat Biotech

Foto: Reprodução

Jornal GGN – A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) deve alterar as regras de forma a facilitar a entrada de vacinas contra a covid-19 para uso emergencial, como a russa Sputnik V.

Segundo o jornal O Estado de S.Paulo, a agência reguladora considera retirar a exigência de que os estudos de fase 3 estejam em andamento dentro do país para a concessão do aval de uso emergencial – o que também deve facilitar a entrada do laboratório indiano Bharat Biotech, que já mostrou interesse em trazer a Covaxin ao setor público e privado brasileiro.

O debate em torno do tema ocorre no momento em que aumentam as pressões em torno do uso do imunizante russo: no Brasil, a empresa União Química afirma que pode receber até 10 milhões de doses do medicamento até março, e entregar um total de 150 milhões de doses neste ano, somando a produção doméstica.

Dados publicados na revista The Lancet nesta terça-feira mostram que a Sputnik V tem eficácia de 91,6%. A vacina já tem sido aplicada na Rússia e em países como Argentina e Argélia.

 

Leia Também
Produção de vacinas do Butantan não deve sofrer novas interrupções, diz Dimas Covas
Covid-19 – O país segue com os dois pés afundados na lama, por Felipe A. P. L. Costa
O genocídio com obra de arte, por Fábio de Oliveira Ribeiro

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora