Decisão do TJ deve render extra de até 100 mil reais para desembargadores paulistas

Para críticos, os gastos com a medida em meio à pandemia do coronavírus não é necessário, uma vez que os magistrados “ganharão bônus para exercer a função básica dos cargos”

Palácio da Justiça, sede do TJ-SP. | Foto: Divulgação

Jornal GGN – O Tribunal de Justiça de São Paulo deve criar pelo menos 19 Câmaras Extraordinárias para acelerar 120 mil processos pendentes de julgamento e a medida deve render um extra de até R$ 100 mil para cada desembargador que fizer parte da ação. As informações são da coluna Painel, da Folha de S. Paulo. 

De acordo com a decisão, cada desembargador das seções de Direito Público ou Privado, no mínimo três em cada, receberá até 600 processos. Sendo assim, os magistrados devem ganhar até 85 dias de compensação, o que, convertendo em dinheiro, renderia cerca de R$ 100 mil. Já nas seções criminais serão distribuídos até 400 processos.

Segundo a reportagem de Folha, o salário dos desembargadores paulistas é de R$ 35.462,22, mas com os benefícios pode chegar até R$ 56 mil. Esses profissionais de São Paulo estão entre os servidores públicos mais bem remunerados do país. 

Para os críticos da medida, os gastos com a criação das Câmaras em meio à pandemia do novo coronavírus não é necessário, uma vez  que os magistrados “ganharão bônus para exercer a função básica dos cargos”. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora