Declarar Imposto de Renda em cima da hora pode causar problemas aos contribuintes

No início de ano, além da conhecida preocupação com os gastos com material escolar, IPTU e IPVA, também ocorre grande comoção em torno da declaração do Imposto de Renda 2017. Como o próprio nome indica, este tributo incide sobre a renda, investimentos e bens da população brasileira, tanto de quem nasceu no país quanto de estrangeiros que residem aqui.

O IR, como também é popularmente conhecido, é uma das principais fontes de financiamento das atividades do Estado e do poder público de um modo geral. Alguns setores financiados pelo imposto são saúde, educação, políticas públicas, segurança, infraestrutura e pesquisas.

Muitos brasileiros têm dúvidas sobre o procedimento da declaração e não é para menos, o processo deve ser feito com cautela para evitar o risco de cair na malha fina. Se tudo não for feito de maneira adequada, o fisco pode contestar as informações declaradas a partir de uma série de dados a que ele tem acesso.

Apesar de sua reconhecida importância, muitas pessoas ainda deixam para enviar a declaração em cima da hora. Em 2017, o prazo acaba em 28 de abril às 23h59. E, apesar de já ser possível enviar as informações desde o início de março, a Receita Federal divulgou que pouco mais de 20% dos contribuintes declararam por enquanto.

Esperar até o último minuto não é uma boa ideia. Entenda por quê:

Sobrecarga do sistema do governo

Ao decidir enviar a declaração nos últimos dias, o contribuinte corre riscos de enfrentar problemas com o sistema da Receita. Isso porque o grande número de pessoas acessando o site da Receita Federal pode causar sobrecarga e lentidão. Dessa forma, o envio das informações é comprometido, sendo que pode inclusive provocar a perda do prazo.

Entrega de informações erradas

Outra consequência da pressa são os erros cometidos na hora de preencher a declaração. Falhas na hora de digitar número e dados específicos podem causar dor de cabeça ao contribuinte. Outros erros prováveis são a declaração de despesas indevidas, inserção de rendimentos em campos incorretos e esquecer de preencher algum dado importante.

Omissão de informações importantes

Como foi mencionado no item anterior, quem tem pouco tempo também pode esquecer de inserir dados essenciais. E isso também vale na hora de declarar despesas dedutíveis, como as mensalidades escolares e os gastos médicos. A falta de tempo pode atrapalhar o procedimento, já que todas as despesas declaradas para dedução do imposto devem possuir comprovante.

Inserção na malha fina

Quem deixa a declaração para a última hora está mais suscetível a falhas. Dessa forma, o contribuinte que comete erros pode cair na chamada malha fina da Receita, já que as informações equivocadas podem provocar suspeitas de irregularidades. O fisco entende que erros podem acontecer e permite que o contribuinte retifique seus dados. Contudo, quem entrega a declaração em cima do prazo corre risco maior de cair na malha fina.

Pagamento de multa

O contribuinte que perde o prazo de entrega incorre em multa. Isso significa que ele terá que desembolsar uma quantia a ser paga para a Receita Federal. O valor mínimo da multa é de R$ 165,74 para quem era obrigado a declarar, mesmo sem imposto devido, mas entregou o documento fora do prazo.

Aqueles que têm que pagar o imposto para a Receita, além da multa indicada acima, também têm que arcar com outra multa de 1% ao mês sobre o valor do tributo a ser pago. Esta multa tem teto máximo de 20% do valor total. Quem atrasa também no pagamento dessa penalidade, também será cobrado mora sobre a quantia a ser paga.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora