Home Editoria Luis Nassif Online Delação que atinge Moro reforça “fábrica de dinheiro e malfeitos” da Lava Jato

Delação que atinge Moro reforça “fábrica de dinheiro e malfeitos” da Lava Jato

Delação que atinge Moro reforça “fábrica de dinheiro e malfeitos” da Lava Jato

Jornal GGN – O professor de Direito Marcelo Uchôa, da Universidade Federal de Fortaleza, disse em entrevista à Rádio Brasil Atual que a delação de Rodrigo Tacla Duran tem potencial para expor a indústria da delação premiada criada pela Lava Jato em Curitiba e desmascarar o ex-juiz Sergio Moro.

“A Lava Jato era uma fábrica de dinheiro para algumas pessoas. E uma fábrica de malfeitos para toda a sociedade. O Moro sempre foi a favor da delação, mas a que pode desmascará-lo como homem ético, ele não quer”, disparou.

Nesta semana, a Folha revelou que a defesa de Tacla Duran assinou um acordo de confidencialidade com a Procuradoria-Geral da República sob Augusto Aras, que retomou as negociações em torno de uma colaboração premiada.

Para Uchô,  a “PGR faz isso, agora, com o objetivo de minar o Moro, comprando a briga do presidente da República. A manifestação do Tacla Duran é para mostrar que a Lava Jato está coberta de atos políticos e ilícitos”, afirma Marcelo Uchôa.

Em nota, Moro se disse surpreso pela retomada do acordo de delação e afirmou que as acusações de Duran foram arquivadas em 2018. Moro trata o advogado como um “criminoso foragido”. A questão é que a Lava Jato foi erguida em cima de vários personagens que tiveram de admitir seus crimes para conseguir benefícios.

Além disso, Moro não quer ouvir Tacla Duran acusando seu padrinho de casamento, Carlos Zucolotto, de ter cobrado 5 milhões de dólares em propina para ajudar o investigado a conseguir um acordo vantajoso com os procuradores de Curitiba.

A delação nesse sentido seria um tiro no coração do lavajatismo e na imagem de herói criada por Moro nos últimos anos.

>>> O GGN PREPARA UM DOSSIÊ SOBRE O PASSADO DE SERGIO MORO. SAIBA COMO AJUDAR AQUI <<<

Leia mais:

Tacla Duran ressurge em meio à vingança de Bolsonaro contra Moro

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

7 COMMENTS

  1. Para verificar a “fábrica ” de dinheiro da lava-jato jato ,entre outras coisas,é preciso ver quem ganhou rios de dinheiro com operações vendidas em Petrobrás a cada condução coercitiva ordenada pelo camisa preta do Paraná. Aí, muito provavelmente, teremos não somente os moralistas sem moral como toda rede de financiamento do golpe e pós golpe,incluídas as eleições de 2018.

  2. Savonarola e seu destino cada vez mais perto do criminoso moro.
    Talvez acabe seus dias na soleada Miami,no afago de seus ex-patrões,algo assim como um “prémio”,a sua dedicação.

    • Quando o executor do serviço sujo não tem mais utilidade, ele é descartado como papel higiênico usado. Em sendo assim, o $érgio Moro não acabará seus dias na soleada Miami, sendo afagado de seus ex-patrões. O prêmio à sua dedicação pode ser a cadeia.

  3. Nassif: já tentaram um papocabeça com aquela dona advogada CataPreta, a que se mandou pra Miami, depois que o passarinho dela gorjeou? Quem sabe ela pode dá uma mãozinha pra desvendar a questão dessa promissora “indústria”? Não possa lhe garantir haja relação, mas acham que pode até sobrar pruns parentes daquele saudoso Cardeal (que deve tá revirando os ossos em sua cripta). “Pode-se enganar a todos, durante algum tempo ou mesmo alguns, durante o tempo todo. Mas é impossível enganar a todos durante todo tempo”. Eita dito bonito…

  4. Tudo bem, concordo que acabar com o desMoronado é ponto ético e honroso para todos nós, mas, não podemos esquecer que, em assim agindo, mais uma vez como em tantas outras, o preclaro procurador geraldobrindeiro aras (do nosso sacrifício) está – apenas – fazendo o jogo – também sujo – em favor do bolsonazi: ou seja, mais criminoso, impossível.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Sair da versão mobile