Delegados em busca da fama.

Já trocaram o nome do Bruno do Flamengo por “Monstro”.
Uma investigação conduzida a cerca de um mês ou mais, sem provas concretas, porém, já motivo de dramatizaçoes mil pela imprensa. Só mais um motivo para grande audiência…

Cicareli já fora traçada em mares espanhóis, a menina Isabela ja caiu da janela, o Brasil perdeu a Copa… Tudo passado…O que resta? O caso do Monstro.

Como bem argumentou o Moraes em seu blog, “opalpiteiro”:

“Negar humanidade a um criminoso é um jeito interessante de nos livrarmos do risco de nos colocarmos em seu lugar. Rotulamos o individuo como monstro e nos acalmamos com a certeza de que jamais faríamos o que ele fez.”

Não estou fazendo defesa do jogador. Tenho até me divertido com certo trocadilhos que tem maldosamente adentrado nossas caixas de email….”O Flamengo até que é um bom time, o que mata é o goleiro.”

Ocorre é que não há provas definitivas sobre o caso.
A investigação tem sido tensa. Os depoimentos, conflitantes.
Bruno culpa macarrão, Macarrão culpa Bruno, e o espaguete não sai do fogo…

Num caso tão complicado, a imprensa e os delegados do caso ja escolheram um culpado: “o goleiro”

Os de boa memória, ou afoitos por pesquisas, verão que nao é de hoje que a imprensa brasileira retrata um caso a partir de uma opinião formada.

Em 2000, o jornalista José cleves foi acusado de ter matado sua mulher.
O caso foi que ele, José Cleves, acompanhado da esposa, fora assaltado, e na ação, teve sua mulher morta.
Uma arma plantada no local do crime levou os policiais a acreditarem que o crime tivera sido planejado pelo proprio Cleves.
O delegado responsável ‘vasou’ o caso para a imprensa, e o crime teve destaque no Fantástico e tudo. Numa versão com direito a simulaçao de sete minutos, mostrando como o monstro josé havia matado sua esposa.

Caso é que o jornalista demorou oito anos para provar sua inocência. Afirmando hoje que foi vítima de uma armação policial.
O cabra trabalhava fazendo denúncias sobre comércio ilegal de armas, máfias dos caça-níqueis e de policiais corruptos em MG ….precisa dizer mais?

O Fantástico não deu os mesmos sete minutos de resposta ao injustiçado. O caso “esfriou”, e a resposta de José nao traria a mesma audiência que teve sua acusação.

Jason Tércio diz em seu livro – A espada e a balança – que “o assassino mata sua vítima, e o tédio da populaçao.”
É uma pena que a mídia insista em fazer parte desse jogo. Ao invés de informar, diverte. Entretenimento no lugar de investigaçao jornalistica crítica. Esse é o peixe da Globo, da Folha, e dos menores que as imitam.

O caso “a Escola Base” é outro que ilustra muito bem o espírito de porco da mídia.
Um suposto caso de estupro, onde 6 pessoas, entre pais de alunos, 2 funcionarios e 2 donos de uma escola foram julgados por abuso de algumas crianças.
O delegado do caso, na ânsia de fama, ‘vasa’ o caso para a imprensa.
Resultado: os acusados tiveram suas casas depredadas e os donos da escola tiveram a mesma saqueada pela populaçao indignada… Intrigante relação entre indignação e saque, mas isso é outra história….

Final do caso? … Arquivamento por falta de provas… Nada provado, e num caso ocorrido em 1994, até hoje tramitam processos por danos morais dos injustiçadamente
acusados. Os donos da escola receberam indenização de 100 salários mínimos, mas o advogado continua no caso que tramita processos contra a Globo, o SBT, a Folha, a Veja. Órgãos que espalharam manchetes como: “Escola de horrores” (Veja)

O que a grande mídia aprendeu com o caso?
Nada além de: “Crime é = a audiência. Dane-se as provas, o que importa é o ‘fato'”

E agora, para brindar mais um caso complicado. A notícia do afastamento das delegadas “responsáveis” do caso Bruno, o monstro.

As bonitonas vazaram um vídeo – que não prova nada – no qual o goleiro joga a culpa no amigo Macarrão.
A Globo divulgou o vídeo, é claro.

E pelo menos dessa vez, uma açao rápida: Afastamento das bonitas do caso.
Deveriam ser afastadas do cargo, mas o Brasil chega lá.

Agora a polêmica:

Receberam um bom dinheiro da Globo pelo vídeo ou não?

Mas essa fofoca a Globo não vai polemizar.

Para quem quiser ver o vídeo:

http://g1.globo.com/brasil/noticia/2010/07/stj-nega-pedido-de-habeas-corpus-bruno-mulher-dele-e-macarrao.html

Redação

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador