Deltan pode sofrer novas punições por parte do CNMP

Procurador e outros integrantes da operação Lava Jato acumulam denúncias; entre elas, realização de palestras em eventos privados

O procurador da República Deltan Dallagnol. Foto: José Cruz/ABr - Agência Brasil - via Wikipedia

Jornal GGN – O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) já acumula 20 procedimentos com foco na operação Lava-Jato, entre eles o caso que recentemente puniu Deltan Dallagnol, ex-coordenador da força-tarefa de Curitiba.

Informações do jornal Folha de São Paulo mostram que grande parte dos casos em andamento estão listados como “reclamação disciplinar”, o que abre precedente para novos PADs (processos administrativos disciplinares) e sanções por violação a deveres funcionais.

Dentre as denúncias, Deltan e outros integrantes da operação Lava Jato são acusados de participar de palestras em eventos privados, contratar outdoors para a promoção de integrantes da equipe, irregularidades cometidas dentro dos procedimentos de investigação ou “suposta perseguição clandestina” a ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

Ao analisar o procedimento do PowerPoint, denunciado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), 8 de 10 conselheiros entenderam que era possível abrir um processo administrativo contra Deltan, mas isso não foi feito devido à prescrição do caso.

 

 

Leia Também
CNMP pune Dallagnol por tweets contra Renan Calheiros
“Dallagnol fugiu porque a casa caiu e vai cair mais”, dispara Lula
O acordo-despedida de Deltan Dallagnol, por Ricardo Cappelli
Deltan Dallagnol confirma saída da Lava Jato e anuncia sucessor

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Robinho e o preconceito contra o feminismo

2 comentários

  1. Nassif: o caso do GogoboyMor se assemelha ao do PríncipeParisiense, que os VerdeSauvas (e suas baionetas em riste) impuseram morosidade até que se desse a prescrição. Deixou de ser gatuno e safado? O fato da Lei não mais poder alcança-lo na punição não o exime do fato criminoso, não o inocenta do crime nem altera os adjetivos pertinentes. É ou não é o caso desse desavergonhado Procurador? E agora, só pra distrair a galera, diariamente pintarão outros causos pitorescos. Que não darão nadica. Se a Elite não blinda-lo, por seu braço Judicial, a Razão da Bala há de dar tônica a situação…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome