Dentre 50 países mais atraentes para negócios, apenas três são da AL

Brasil, Chile e México são os melhores colocados em levantamento italiano, que elaborou um mapa considerando 144 economias mundiais

Foto: Reprodução

Jornal GGN – Os países da América Latina não estão muito bem no se que refere ao grau de atração de investimentos dos europeus, como mostra a quinta edição do Global Attractiveness Index, elaborado pelo The European House e divulgado na Itália.

Apenas três países latino-americanos aparecem entre as 50 nações apontadas como atraentes para investimento: o Brasil, que ocupa o 41º lugar, com 44,74 pontos; México, na 43ª colocação, com 43,46 pontos; e o Chile, na 46ª posição, com pontuação de 39,80. Esses países passam a ser considerados como de “atração média”.

Os outros países da região são vistos como de “baixa atração” – ou seja, poucas empresas estão interessadas em investir capital neles. Segundo o relatório, nove estão localizados entre as posições 50 e 100: Uruguai (66º, 27,56), Panamá (70º, 26,87), República Dominicana (74º, 26,46), Peru (82º, 24,87), Equador (84º, 24,42), Costa Rica (88º, 23,17), Colômbia (91º, 22,51), Argentina (92º, 22,15) e Paraguai (95º, 20,32).

Os demais estão entre os piores pontuados do mundo: Guatemala (104º, 16,87), Bolívia (116º, 12,36), Honduras (120º, 11,13), El Salvador (122º, 10,88), Nicarágua (130º, 9,34), Venezuela (137º, 5,74) e Haiti (141º, 4,35).

Segundo a pesquisa, a América Latina não é a única região com problemas: a União Europeia também apresenta um processo de queda de atratividade – em cinco anos, 75% dos integrantes do bloco reduziram ou mantiveram sua posição no ranking e, na ultimada década, o percentual europeu no volume de investimento estrangeiro direito caiu de 43,7% para 30,7%. As informações são do portal Infobae.

 

 

Leia Também
Com auxílio emergencial reduzido, Governo não irá interferir nos preço dos alimentos
Governo vai cortar verba de ministérios para atender Pró-Brasil
Custo de prorrogação do auxílio emergencial será menor que o estimado
Salário mínimo deve aumentar somente R$ 22 em 2021

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora