GGN

Desembolsos do BNDES crescem 41% e somam R$ 46 bilhões até maio

http://www.bndes.gov.br/SiteBNDES/bndes/bndes_pt/Institucional/Sala_de_Imprensa/Destaques_Primeira_Pagina/20100701_desempenho.html

01/07/2010 – Com destaque para o crescimento das operações do Programa de Sustentação do Investimento (BNDES PSI), o BNDES desembolsou R$ 46 bilhões nos primeiros cinco meses deste ano, alta de 41% na comparação com os R$ 32,6 bilhões do mesmo período do ano passado.

Comportamento similar foi observado nas aprovações de empréstimos do Banco, que registraram aumento de 43% em relação a janeiro/maio de 2009.
Os bons resultados devem-se, em grande parte, ao êxito do BNDES PSI, programa criado pelo Governo Federal em julho do ano passado para impulsionar o crescimento por meio do aumento dos investimentos. Entre janeiro e maio, foram desembolsados R$ 18,4 bilhões para produção e aquisição de máquinas e equipamentos. Desde seu lançamento, em julho de 2009, o BNDES PSI já teve R$ 36,6 bilhões em desembolsos e R$ 55,6 bilhões em operações contratadas.

Em todos os setores da economia (agropecuária, indústria, infraestrutura, comércio e serviços) houve crescimento dos desembolsos, refletindo o poder de disseminação do BNDES PSI. O setor de infraestrutura respondeu por 41% dos desembolsos do Banco nos primeiros cinco meses de 2010, com total de R$ 18,6 bilhões. A indústria, com 29% das liberações globais, absorveu R$ 13,3 bilhões em financiamentos no período. Já ao setor de comércio e serviços, foram desembolsados R$ 9,8 bilhões (21% do total) e à agropecuária, R$ 4,2 bilhões (participação de 9%).

Transporte – Na Infraestrutura, o grande destaque foi o segmento de transporte rodoviário, cujos desembolsos somaram R$ 9,8 bilhões entre janeiro e maio passado (crescimento de 119% na comparação com o mesmo período de 2009). Por trás desse desempenho está, novamente, o alcance do BNDES PSI, que contribuiu para impulsionar os investimentos em ônibus e caminhões (bens de capital). Só para o segmento de transporte rodoviário, foram desembolsados, nos cinco primeiros meses deste ano, R$ 7,2 bilhões no âmbito do programa.

Também nas aprovações até maio passado, a liderança permaneceu com transporte rodoviário, com R$ 13,1 bilhões (expansão de 197%), respondendo, assim, por 58% do que foi aprovado para o setor de Infraestrutura, de R$ 22,3 bilhões.

Têxtil – Nos desembolsos da Indústria até maio, o destaque coube a alimentos e bebidas (R$ 4,1 bilhões, com alta de 145% em relação a janeiro/maio de 2009), acompanhado por material de transporte (R$ 2 bilhões, alta de 40%). Também foi importante o crescimento de 299% nos desembolsos ao segmento têxtil e vestuário, um setor intensivo em empregos, que recebeu R$ 585 milhões.

As aprovações de financiamento do BNDES ao setor industrial ficaram em R$ 17,4 bilhões nos cinco primeiros meses de 2010 (incremento de 48% e participação de 30% sobre o total aprovado pelo Banco no período).

As consultas e enquadramentos de janeiro a maio deste ano apresentaram queda, influenciadas pelo efeito da operação de financiamento de R$ 25 bilhões à Petrobras, realizada no ano passado e que contribuiu para elevar a base de comparação. As consultas e os enquadramentos recuaram, respectivamente, 17% e 23%, se comparadas com os mesmos meses do ano passado. Assim, as consultas ficaram em R$ 79,9 bilhões, e os enquadramentos, em R$ 65,3 bilhões. Esse efeito estatístico tende a ser neutralizado nas comparações de desempenho do BNDES ao longo do tempo.

Últimos 12 meses – Numa comparação de mais longo prazo, nos últimos 12 meses encerrados em maio, os desembolsos do BNDES mantiveram fôlego, com R$ 150,7 bilhões, e exibiram crescimento de 64% se comparados com os mesmos meses do ano anterior.

Do total liberado no período, R$ 64,4 bilhões foram para a Indústria e R$ 54,2 bilhões para a Infraestrutura. Neste último item, além do segmento de transporte rodoviário, com R$ 19 bilhões desembolsados, o destaque foi energia elétrica, com  R$ 13,2 bilhões. Aí estão projetos estruturantes listados no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), entre eles as hidrelétricas do Rio Madeira.

As aprovações de empréstimos do Banco encerraram maio com total de R$ 187,9 bilhões em 12 meses (incremento de 57%). Já as consultas, com comportamento estável, acumularam R$ 207 bilhões.

Desempenho em maio – Em maio, isoladamente, o BNDES desembolsou R$ 10,4 bilhões, valor 72% superior aos R$ 6 bilhões liberados em maio de 2009. Da mesma forma, cresceram as aprovações, atingindo R$ 15,5 bilhões (alta de 38%), os enquadramentos, com R$ 18,8 bilhões (expansão de 16%), e as consultas, que chegaram a R$ 21,4 bilhões (elevação de 23,5%).

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Sair da versão mobile