Despejos violentos no norte da Bahia deixam trabalhadores Sem Terra baleados

Ação acontece simultaneamente nos acampamentos Abril Vermelho, Dorothy e Irany

Reprodução MST

da Página do MST 

Despejos violentos no norte da Bahia deixam trabalhadores Sem Terra baleados

Na madrugada dessa segunda-feira (25), aproximadamente 700 famílias Sem Terra do acampamento Abril Vermelho, acampamento Dorothy e acampamento Irany, nos municípios de Casa Nova e Juazeiro, estão sendo despejadas violentamente por homens da Polícia Federal, Militar e milícias armadas da região.

“Chegaram atirando, tem um companheiro baleado na cabeça!” afirmaram as famílias.

Reprodução MST

“Há muita violência contra as famílias, muita agressividade, muito spray, muita bomba de fumaça”

As áreas acampadas fazem parte do perímetro irrigado Nilo Coelho, Casa Nova, e o projeto Salitre e Juazeiro.

LEIA MAIS SOBRE A ÁREA: Estamos aqui há quatro anos lutando e resistindo. E daqui não sairemos

As famílias estão acampadas desde 2007, mediante acordo entre o Governo Federal, o Governo Estadual, o Incra, Ouvidoria Agrária, a Codevasf e o Ministério Público.

Entretanto, com as investidas violentas contra os movimentos sociais do atual Governo Federal, os acordos estão sendo quebrados e as famílias trabalhadoras estão sendo vítimas uma vez mais da truculência do estado.

700 famílias estão vendo seus sonhos sendo destruído pelo governo, que manda uma mensagem bem clara de que não quer ver Sem Terra trabalhando ou produzindo alimentos.

Reprodução MST

A economia de Juazeiro e região irá sofrer uma queda muito grande, por que os acampamentos que foram despejados com brutalidade do governo, produziam por ano mais de 7200 toneladas de alimentos, gerando trabalho e renda para mais de 5000 famílias.

O MST repudia a ação, a brutalidade e a falta de compromisso do Estado para com as famílias Acampadas, permaneceremos em luta e continuaremos resistentes.

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra exige um posicionamento urgente do Governo do Estado da Bahia.

* Este conteúdo poderá ser alterado conforme surgimento de novas informações

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Para derrotar plano de Bolsonaro é preciso mudar estratégia de luta, diz professora

1 comentário

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome