Destaque da ala militar começa a incomodar Bolsonaro

Presidente acredita que o grupo que têm atuado como ‘bombeiro’ nas crises ‘colhe os louros’ enquanto ele segue sendo atacado

Foto: Reprodução

Jornal GGN – O recente destaque ganho pelos integrantes das Forças Armadas começou a incomodar o presidente Jair Bolsonaro: influenciado pelos filhos, ele acredita que os ministros apontados como “tutores” de um governo que acumula crises ficam com os louros do que considera “pontos positivos” de sua gestão, enquanto ele e seus aliados seguem atacados.

Segundo informações do jornal O Estado de São Paulo, Bolsonaro chegou a cobrar ministros para que se posicionassem publicamente contra reportagens que citam críticas de militares (feitas reservadamente a jornalistas) a ele e também como contraponto aos filhos.

Por outro lado, pessoas próximas ao presidente dizem que as crises foram usadas para que se verificassem reações e posicionamentos dos auxiliares de governo vindos das Forças Armadas. Relatos indicam a existência de um cruzamento de informações do que sai na imprensa e as movimentações internas, para assim encontrar quem foi o responsável por conversar com a imprensa.

Os três generais que tem atuado para contornar as recentes crises políticas são os ministros da Casa Civil, Walter Braga Netto, da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, e do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno. Eles buscaram gerenciar os problemas em torno das saídas dos ex-ministros da Justiça Sérgio Moro e da Saúde Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich.

 

Leia Também

Ao contrário da Lava Jato, MP-RJ segurou dados contra os Bolsonaro até passar a eleição
Flávio Bolsonaro sabia de operação da PF contra Queiroz, diz empresário
Dossiê reúne tragédias dos 500 dias com Bolsonaro, por Gabriel Pedroza e Ergon Cugler
GGN prepara dossiê sobre trajetória de Sergio Moro. Saiba como apoiar

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  A corrupção acabou, viva a corrupção bolsonariana, por Fábio de Oliveira Ribeiro

3 comentários

  1. Milicos foram intimados a depor, na condição de testemunhas, no inquérito que apura suposto interferência do Bozo na PF, a fim de proteger seus filhos e um amigo, tendo sido advertidos que, caso não comparecessem voluntariamente, por motivo injustificado, seriam conduzidos debaixo de vara, a teor do disposto no art. do CPP a seguir transcrito:

    “Art. 218. Se, regularmente intimada, a testemunha deixar de comparecer sem motivo justificado, o juiz poderá requisitar à autoridade policial a sua apresentação ou determinar seja conduzida por oficial de justiça, que poderá solicitar o auxílio da força pública”.
    As garotas não engoliram a advertência a seco e foram tirar satisfação com o Ministro Celso de Mello

    Ora, se com todo mundo é assim e se todos são iguais perante a lei, porque essa zanguinha besta?

  2. Fácil de resolver…. é só por toda a milicada para fora do governo…..melhor coisa que o Bozo podia fazer ; )

  3. Creio que o sr. Paulo Guedes está com a próxima ficha da crise , tão logo estabelize um pouco a Saúde ele será chamado …
    437 !
    Se bem que o gal. Heleno está na fila priorotária…9

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome