Diesel S-50 reduz emissão de poluentes

O Diesel S-50, com menos teor de enxofre, é testado na frota de ônibus da cidade do Rio de Janeiro. O objetivo é estender a utilização desse tipo de combustível para outras capitais brasileiras ainda neste semestre. A produção do diesel menos poluente pretende atender uma das disposições da Resolução 315, de outubro de 2002, do Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA).

Produzido pela Petrobras, na Refinaria Duque de Caxias (Reduc), o S-50 está em teste há quatro meses em 47 empresas do município – num total de 8.500 ônibus – com monitoramento da Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor). De caráter preliminar, os testes indicam tendência de redução das emissões de material particulado para o meio ambiente. Os resultados são compatíveis com os apresentados em laboratório pelo Centro de Pesquisas da Petrobras, que previam uma redução de 11,3% nas emissões com a substituição do S-500 pelo S-50 em veículos.

Segundo o diretor de Mobilidade Urbana da Fetranspor, Arthur Cesar de Menezes, as emissões de fumaça foram medidas com o mesmo método usado nas inspeções do Departamento Estadual de Trânsito (Detran). UtiliUtilizando um opacímetro montado na descarga dos ônibus, o aparelho mediu a fração visível dos gases de escapamento, com os veículos operando sem carga e em aceleração livre. Menezes afirma que os dados dos testes estão em fase de consolidação e serão organizados por geração tecnológica, ano e modelo dos veículos, fatores que afetam o desempenho do combustível. A idade média da frota de ônibus que circula no estado é de 5,5 anos.

Para o diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, o objetivo é ter plena capacidade produtiva do diesel para atender o mercado brasileiro, sem depender de importação. Costa estima que para garantir a produção doméstica total do combustível, a empresa investirá 4 bilhões de dólares até 2012 e mais 2 bilhões para garantir o fornecimento do S-10, com 10 partículas por milhão de enxofre, a partir de 2013.

De acordo com a Petrobras, o cronograma acertado junto ao Ministério Público, com orientação do Ministério do Meio Ambiente, define que, a partir de maio deste ano, o diesel S-50 estará disponível também para Fortaleza (CE), Recife (PE) e Belém (PA) e, em agosto, para Curitiba (PR).

O calendário prevê, ainda, em 2010 a implantação do combustível para as frotas cativas de ônibus urbanos em Porto Alegre (RS), Belo Horizonte (MG) e Salvador (BA), além da Região Metropolitana da cidade de São Paulo.

Adicionalmente, em 2011 o combustível será fornecido também ao transporte urbano de outras três regiões metropolitanas do estado de São Paulo: Baixada Santista, Campinas e São José dos Campos. A região metropolitana do estado do Rio de Janeiro também entra neste cronograma.

A Resolução 315 do Conama dispõe sobre etapas do Programa de Controle de Emissões Veiculares (PROCONVE) e considera que os veículos automotores emitem poluentes que prejudicam a qualidade ambiental, especialmente nos grandes centros.

Histórico

No dia 30 de outubro de 2008, a Petrobras firmou acordo com o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Renováveis (IBAMA), com a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), com a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) e a Secretaria do Meio Ambiente do Governo de São Paulo, no qual se comprometeu a promover, de forma gradativa, as atividades do Programa Nacional de Racionalização do Uso dos Derivados de Petróleo e Gás Natural (Conpet) em São Paulo, no Rio de Janeiro, em Curitiba, em Porto Alegre, em Belo Horizonte, em Salvador e Vitória.

Na ocasião, foram ajustadas as condições para a antecipação de uma nova fase do programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve) para 2012, que ainda está sendo regulamentada pelo Conama. A petrolífera estatal deve contribuir com a indústria automobilística no atendimento a esses novos limites de emissões, conhecidos como P-7, para os veículos a diesel. Esta fase equivale aos limites Europeus Euro 5 e exigirá que os motores utilizem , a partir de janeiro de 2013, um diesel com 10 ppm de enxofre.

S-50

O diesel S-50 fornecido pela companhia estatal no Rio de Janeiro inicialmente era importado e transportado pela rede de dutos até a Reduc (Refinaria Duque de Caxias), de onde era bombeado para as bases das distribuidoras.

A partir de abril deste ano o combustível passou a ser produzido na própria Reduc. A produção ocorre por meio de uma unidade de hidrotratamento, que extrai o enxofre a partir de reações químicas. O diesel produzido é então bombeado para as principais bases distribuidoras na região metropolitana.

Um duto foi adaptado para atender com exclusividade o bombeio de S-50. Por mês, são disponibilizados aproximadamente 14 mil metros cúbicos do diesel somente para o município do Rio de Janeiro.

A frota cativa de ônibus é composta por veículos que operam em linhas regulares, que possuem ponto de abastecimento e trafegam somente dentro do município. O S-50 possui 50 partes por milhão de enxofre, o equivalente a uma concentração de 0,005% desse componente no diesel. O S-500 – diesel utilizado anteriormente – possuía 500 partes por milhão de enxofre, o que corresponde a uma concentração de 0,05% desse componente no combustível. Contudo, o S-50 – menos poluente – está sendo comercializado pelo mesmo preço do diesel anterior, o S-500.

Clique aqui, e leia mais sobre o S-50 no estudo A Qualidade do Diesel no Brasil (Despoluidor – Programa Ambiental de Transportes), publicado pela Confederação Nacional do Transporte (CNT).


*Colaborou Fernanda Bertoncini

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome