Dilma defende abertura de capital da Infraero

João Pequeno
Direto do Rio de Janeiro

Durante evento na sede do COB (Comitê Olímpico Brasileiro), no Rio de Janeiro, a candidata do PT à presidência Dilma Rousseff defendeu, nesta segunda-feira (2), a abertura de capital da Infraero para melhorar os aeroportos brasileiros até a Olimpíada de 2016 e afirmou que o governo de seu colega de partido Luiz Inácio Lula da Silva já trabalha nesse sentido.

Dilma afirmou que vai cuidar da questão dos aeroportos “no primeiro dia”, caso seja eleita. Questionada sobre o porquê do governo Lula não conseguir melhorar a gestão aeroportuária, a candidata disse que “oito anos é muito pouco tempo”.

“Tem uma coisa que eu acho muito importante e que começou a ser feita no governo Lula. Eu acho que tem que mudar a governança da Infraero, abrir o capital da Infraero. O banco BNDES foi encarregado de fazer isso (…) para qualquer coisa que se fizer com o aeroporto, qualquer parceria público-privada, terá que ter um marco regulatório claro e definido. Eu acredito que não tem grandes dificuldades de abrir o capital da Infraero mantendo o controle na mão do Estado, da mesma forma como a Petrobras. Hoje, a Infraero é uma empresa completamente fechada”, disse.

O governador do Rio e candidato à reeleição, Sérgio Cabral (PMDB) falou que é “muito inteligente” a proposta de abertura do capital da Infraero, mantendo o controle acionário no Estado e fazendo concessões para a operação dos aeroportos.

A candidata petista mandou recado ao candidato tucano José Serra, afirmando que “somos capazes de investir em trem de alta velocidade e, ao mesmo tempo, fazer metrô” e que não acha “que o esporte é baratinho”. Quando foi ao COB, Serra afirmou que não era caro investir no esporte. Ele também criticou a aplicação de recursos federais para construir um trem-bala entre Rio e São Paulo, afirmando que metrôs deveriam ser priorizados.

Assim como Serra e Marina Silva, Dilma também ganhou um uniforme olímpico, um agasalho com seu nome, dado pelo corredor Joaquim Cruz, medalha de ouro nos 800 metros nos Jogos Olímpicos de Los Angeles, em 1984. Cabral, o ministro dos Esportes, Orlando Silva, e o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), também ganharam agasalhos, porém sem nome.

Durante meia hora, Dilma discursou praticamente sem falar em projetos concretos para a área do esporte. Um dos poucos seria a criação de uma rede nacional de centros de treinamento. Outro projeto auxiliar seria a construção de quadras esportivas em 10 mil escolas. A candidata elogiou os governos de Sérgio Cabral e Eduardo Paes, além do próprio governo Lula, do qual fez parte, pela escolha para sediar a Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada de 2016.

Cabral, que discursou antes, citou diversas vezes Eduardo Paes, seu ex-secretário de Esportes, ao ressaltar a organização e a segurança dos Jogos Pan-Americanos de 2007. Segundo ele, a experiência do Pan é responsável por mostrar que a cidade poderia sediar os Jogos Olímpicos. Ele também elogiou Dilma, afirmando que “o Rio deve muito a você”, pela participação do governo federal em obras do Pan.

 

http://noticias.terra.com.br/eleicoes/2010/noticias/0,,OI4600687-EI15315,00-Dilma+defende+abertura+de+capital+da+Infraero.html

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome