Dodge prorroga Lava Jato por mais 1 ano

Dodge, na semana passada, foi alvo de reportagens da série da Vaza Jato, que demonstram que a força-tarefa de Curitiba não respeita a PGR como autoridade

Jornal GGN – Mesmo em meio à exposição dos métodos heterodoxos da Lava Jato em Curitiba pelo Intercept Brasil em parceria com outros veículos de comunicação, a procuradora-geral da República Raquel Dodge prorrogou os trabalhos da força-tarefa do Ministério Público Federal por mais 1 ano. A portaria deve ser publicada nesta terça (13).

Dodge, na semana passada, foi alvo de reportagens da série da Vaza Jato, que demonstram que a força-tarefa de Curitiba não respeita a PGR como autoridade. Além de criticar suas decisões e postura, os procuradores liderados por Deltan Dallagnol passaram por cima de Dodge no acordão assinado pela Petrobras, em janeiro deste ano, que destina R$ 1,25 bilhão (fruto de uma multa imposta pelos EUA) para uma fundação privada que seria criada sob a batuta da própria Lava Jato.

Segundo informações da Folha, ao ano, a força-tarefa da Lava Jato custa R$ 1,4 milhão. No grupo de Curitiba trabalham 15 procuradores, com o apoio de 28 servidores, sendo 9 contratados e os demais, estagiários.

Além disso, por ano, a PGR destina, em média, R$ 900 mil para gastos com diárias e passagens da força-tarefa.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Defesa de Thaméa nega participação de procuradora na formulação de pedido de impeachment de Gilmar

1 comentário

  1. Essa conta da Folha não fecha. Um Procurador da República de 1ª instância, no patamar inicial da carreira, ganha cerca de 30k brutos, sem os penduricalhos dos auxílios todos. Faria sentido se fosse 1,4mi ao mês.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome