Dos tempos em que o deputado Bolsonaro quebrava o decoro e era poupado

Jair Bolsonaro passa dos limites há muitos anos. E só agora reclamam.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Coronavírus: EUA suspendem emissão de vistos comuns

7 comentários

  1. Pois é, não é surpresa para ninguém esse comportamento obtuso. O pior é que há uma legião que o apoia e convalida o que diz, e que só confirma o grau de degradação intelectual, moral, de urbanidade, de respeito vigente no país.

  2. Quando a imprensa irá impor limites a Bolsonaro?

    Por Leandro Fortes, do Jornalistas pela Democracia

    Até quando os jornalistas vão continuar na frente do Palácio da Alvorada, à espera de declarações de um demente que se acha engraçado?

    Que tipo de jornalismo eles acham que se faz ali, estocados em um cercadinho, expostos ao ridículo diário para uma claque de idiotas montada pelo governo?

    Como não se reconhecem como categoria sindical, porque se acham intelectuais isentos e suprapartidários, os jornalistas brasileiros estão sujeitos a esse vexame, sem saída à vista.

    Ficam, assim, na lida desse antijornalismo inútil e coletivo, colhendo insultos e brutalidades para garantir a lacração dos imbecis bolsonaristas, no Twitter.

    Zero de informação, zero de utilidade pública.

    Mas, impressionantemente, não se movem. Ficam lá, recebendo cusparadas na cara, esperando a troca de plantão, como bons tarefeiros – essa triste sina do reportariado brasileiro.

  3. Alguém explique à Folha que não há “meia coragem”
    POR FERNANDO BRITO · 19/02/2020

    Ontem à noite, quando a Folha publicou seu duro editorial contra as atitudes de ““chefe de bando” do senhor Jair Bolsonaro, este “rodado” blogueiro aqui já pressentia que a valentia era assunto para a página 2:

    Veremos se a Folha, como é seu dever, colocará seu texto em primeira página, porque não é uma notícia qualquer.

    Não colocou e, com isso, deu traços de e”normalidade” ao que é absurdamente anormal.

    Não é apenas por se tratar de um ataque a uma repórter do jornal.

    Nem mesmo de um ataque à dignidade das mulheres.

    Ou um atropelo ao trabalho da imprensa.

    É porque reduz o país a uma pocilga, onde o presidente da República refocila sobre a dignidade alheia.

    Ou será que os boatos de demissão de Paulo Guedes (trato no próximo post) ajudaram a varrer para baixo do tapete a coragem do jornal?

    Um liberal que tolera o fascismo, ao fascismo serve.

    É, no máximo, um poodle entre dobermanns.

  4. Hoje nós saberemos se o Congresso vai nos dar uma banana e se o STF nos dará onze ou uma, se, para responder a isso, houver exigência de reserva de plenário.

  5. A lumpenburguesia brasileira adoraria continuar fazendo cara de paisagem para as cagadas dos Bolsobostas mas como o Brasil está perdendo rapidamente a credibilidade no mercado internacional, com a consequente fuga de capitais, agora começa a cair a ficha da referida lumpenburguesia brasileira.

  6. Ninguém chega a presidencia sem passar pelo palanque, certo? Então, porque essa criatura chegou ao Planalto? Porquê, embora grosso igual a porta do Opala, suas grosserias ganharam “likes” no palanque e a maioria dos seus eleitores gosta disso! Ele encarna o votante e joga bem com essas polêmicas para ofuscar os temas serios que o ameaçam. Não vejo outra explicação para o fato de ele estar na presidência senão a sustentação ainda presente e inabalável de boa parte do seu eleitorado. Perdemos!

  7. É claro que eles ganharam e o sinal tá fechado pra nós mas quem segura o Bolsobosta não é quem o elegeu, é o mercado. E o bolsa só traz insegurança e baixos lucros pro mercado

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome