Empresas negociam compra de 33 milhões de doses da vacina de Oxford

Metade das doses seria doada para o SUS. Entre as empresas estão a Petrobras, operadores de telefonia, JBS, bancos privados e outras

Jornal GGN – Empresas privadas que atuam no Brasil negociam com o Ministério da Saúde a possibilidade de importar 33 milhões de doses da vacina de Oxford/Astrazeneca. Metade das doses seria para imunizar os trabalhadores dessas companhias. A outra metade seria doada, como contrapartida, ao SUS. O medicamento estaria disponível para ser entregue em fevereiro.

Segundo informações da Folha de S. Paulo desta segunda (25), os empresários decidiram agir depois do Ministério da Saúde demonstrar dificuldade me lidar com os obstáculos diplomáticos da importação das vacinas.

As empresas que participam do pool com intenção de pagar até 23,79 dólares por cada dose da vacina são: Vale, Gerdau, JBS, Oi, Vivo, Ambev, Petrobras, Santander, Itaú, Claro, Whirlpool e ADN Liga.

No começo de janeiro, o ministro da Saúde Eduardo Pazuello disse que a prioridade seria o SUS e “uma vez supridas” as demandas do sistema, as empresas poderiam importar ou comprar vacinas disponíveis no mercado e aprovadas pela Anvisa.

“Segundo empresários, o governo sinalizou que liberaria a importação. Procurado, o Ministério da Saúde não respondeu. A Dasa [empresa que negocia em nome do pool] também não.”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora