Entidades protestam contra governo Zema pelo despejo no Quilombo Campo Grande

Carta conta 80 assinaturas de representantes do Brasil e EUA, que cobram do governo mineiro amparo às famílias desabrigadas

Imagem: Reprodução

Jornal GGN – Acadêmicos e entidades da sociedade civil dos Estados Unidos e do Brasil se unem para manifestar indignação contra o governo de Romeu Zema (Novo-MG) e cobrar respostas pelo despejo de mais de 400 famílias do Quilombo Campo Grande, em agosto. As informações são da Folha de S. Paulo.

O protesto acontece por meio de carta assinada por 80 representantes, reunidos pela rede US Network for Democracy in Brazil, liderada por James Green, da Brown University, e por Gladys Mitchell-Walthour, da Universidade de Wisconsin Milwaukee.

Os signatários destacam que o descaso com as centenas de famílias aconteceu em meio a pandemia da Covid-19 e reiteram que a medida da Polícia Militar mineira contraria o Supremo Tribunal Federal (STF).

Em março, a Suprema Corte determinou, ao discutir o tema de demarcação de terras indígenas,  a proibição de ações de reintegração de posse durante a pandemia. 

Além disso, a carta lembra ao governador que as famílias passaram a ocupar as terras, após a usina sucroalcooleira que funcionava no local falir e deixar seus empregados desamparados. 

Sendo assim, o manifesto pede para que o governo mineiro ampare as famílias e responda pela destruição de casas e de uma escola no assentamento, além de prestar solidariedade ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra  (MST).

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome