Estudo aponta existência de petróleo na região Pará-Maranhão

Prognóstico detectado em pesquisa indica existência de 20 a 30 bilhões de barris entre Amapá, Pará e Maranhão; estudo está com presidente da FIEMA

Jornal GGN – Estudo científico que aborda a franja oceânica do norte brasileiro (Maranhão, Pará e Amapá) aponta a existência de cerca de 30 bilhões de barris de petróleo nas águas profundas e ultraprofundas da Bacia do Pará-Maranhão.

É o que afirma o documento “Um novo ‘Pré-Sal’ no Arco Norte do Território Brasileiro”, de autoria de Allan Kardec Duailibe Barros Filho, professor da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Ronaldo Gomes Carmona, professor de Geopolítica da Escola Superior de Guerra (ESG), e Pedro Victor Zalán, presidente da ZAG Consultoria em Exploração de Petróleo. O estudo já foi encaminhado ao presidente da Federação das Indústrias do Maranhão (Fiema), Edilson Baldez.

“Se confirmadas as expectativas, as quais buscamos descrever na presente Nota Técnica, especialmente os Estados do Maranhão, Pará e Amapá, poderão beneficiar-se de vultosas receitas diretas (tributos e royalties) e indiretas (desenvolvimento industrial e do setor de serviços, com expressiva geração de empregos) que poderiam ser geradas pela exploração e produção petrolífera. Abrem-se amplas perspectivas do desenvolvimento regional, a começar pelo fato de que a produção petrolífera e gasífera potencial poderia gerar abundância energética visando a industrialização dessa região do território nacional”, diz o estudo.

“A primeira etapa é entrar em licitação, porque o solo é do Brasil, então algum órgão governamental tem que colocá-lo em licitação para as empresas adquirirem. Quem faz isso é a Agência Nacional de Petróleo (ANP). Há várias rodadas de licitação. Por exemplo, este ano, há a 17ª rodada, que nós não entramos. Nós queremos entrar na 18ª rodada”, explicou o ex-diretor da ANP Allan Kardec Barros Filho, segundo o site Click Petróleo e Gás.

 

 

Leia Também
Dados de Bolsonaro e ministros do STF estão à venda na internet
‘Vacina para toda humanidade’: The Lancet valida eficácia da Sputnik V em 91,6%
Indústria brasileira encerra 2020 com queda de 4,5%
Saindo um big MEC para o Centrão, por Alexandre Filordi
As eleições no Congresso e a economia, por Paulo Kliass
O Perigoso Caminho da Suíça para a Extrema-Direita, por Franklin Frederick

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora