Europeus culpam Bolsonaro pela crise sanitária brasileira

Jornal GGN – As autoridades do Parlamento Europeu apontaram o presidente brasileiro Jair Bolsonaro como responsável pela crise sanitária vivida pelo Brasil, e questionaram o embaixador do Brasil na UE, Marcos Galvão, a respeito. Contudo, em linhas gerais, os europeus foram claros em afirmar que a crise do Brasil é resultado de decisões políticas do governo Bolsonaro.

Em artigo publicado no portal UOL, o jornalista Jamil Chade afirma que a audiência no Parlamento Europeu ocorre no momento em que o país é visto como ameaça sanitária global e a perspectiva em torno de uma CPI também preocupa o Executivo.

“O que ocorre no Brasil é uma tragédia. Mas poderia ter sido evitada e baseada em decisões políticas equivocadas”, disse a alemã Anna Cavazzini, eurodeputada pelo Partido Verde e vice-presidente da delegação do Parlamento Europeu para assuntos relacionados ao Brasil. A deputada também questionou o destino dos recursos enviados pela UE para o Brasil.

Anna Cavazzini também cobrou respostas sobre a morte de indígenas, os esforços feitos para se lidar com a fome no país e questionou o destino dos recursos enviados pela EU para o Brasil: “Se Bolsonaro nega a crise e coloca medidas que impedem a ação contra a pandemia, para onde é que o dinheiro vai?”.

“Vamos dizer claramente: a necropolítica de Bolsonaro é um crime contra a humanidade contra o povo brasileiro”, disse o eurodeputado Miguel Urban Crespo, do partido de esquerda Podemos, afirmando que a crise “tem causa política e tem um responsável” e que é uma “autêntica vergonha” a UE continuar negociando um acordo comercial com o Mercosul.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora