Evo Morales reage à impugnação de candidatura a senador

Em Buenos Aires, ex-presidente da Bolívia diz que “não há garantia de eleição limpa e transparente” no país

Jornal GGN – O Supremo Tribunal Eleitoral da Bolívia impugnou a candidatura do ex-presidente Evo Morales ao Senado, por considerar que o ex-presidente não comprovou que reside de maneira permanente no distrito do território que ele pretendia representar na Casa.

Segundo informações do jornal Folha de São Paulo, Evo convocou uma coletiva para falar do assunto em Buenos Aires, onde vive na condição de refugiado. Para o ex-presidente boliviano, o país “vive uma ditadura que responde ao poder dos Estados Unidos”, e que “não há garantia de uma eleição limpa e transparente” na Bolívia.

Evo disse que não aceitou se candidatar à Presidência na disputa marcada para 03 de maio “pelo bem da Bolívia”. A lei que convocou novas eleições proíbe a reeleição depois de mandatos para o mesmo cargo, segundo artigo da Constituição boliviana.

O ex-presidente disse ainda que a proibição para a disputa ao Senado seria uma ilegalidade. “Eles [o atual governo boliviano] têm medo de mim e medo da democracia. Não querem nem que eu retorne ao país.”

Evo renunciou em novembro de 2019, pressionado por manifestações nas ruas e pelas Forças Armadas, após uma eleição marcada por denúncias de fraude, e que sinalizava a conquista de um quarto mandato pelo líder boliviano.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Esquerda tem capilaridade, mas falta narrativa própria e estratégia nas redes sociais, diz Letícia Sallorenzo

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome