Exclusivo GGN Covid: 170 milhões de brasileiros em regiões com crescimento da doença de mais de 20% em 14 dias

O JN gosta de apresentar o mapa do Brasil, com a indicação dos estados mais e menos afetados. É um gráfico um tanto ilusório

O balanço da Covid-19 não mostra muitos avanços no combate à doença no Brasil.

A média diária semanal, dos últimos 7 dias, mostrou um pequeno aumento em relação ao dia anterior; assim como o número de óbitos.

Um detalhamento maior dos estados com maior crescimento da doença ajuda a clarear um pouco o ambiente. Em alguns deles, o aumento foi um soluço. Em outrosm, uma tendência. Como soluço, entram Pará e Rio de Janeiro; como tendência de alta, Mato Grosso do Sul, Paraná e Rio Grande do Sul.

No mapa por regiões do país, chama atenção o crescimento vertiginoso da doença em Minas, na região sudeste, e os três estados do sul.

O Jornal Nacional gosta de apresentar o mapa do Brasil, com a indicação dos estados mais e menos afetados. É um gráfico um tanto ilusório, justamente por mostrar situações pontuais, e não a tendência de crescimento ou moderação das curvas da doença.

Confira no mapa abaixo:

Para ficar na região Norte, pelo mapa há um enorme crescimento nos casos no Pará e uma redução em Roraima e Rondônia. Quando se mostra a curva de casos, vê-se que o quadro é outro. Enquanto no Pará há um certo acomodamento na alta, em Roraima e Rondônia há uma curva em franca progressão.

Finalmente, a parte mais detalhe dos estudos do GGN. Aqui, dividiu-se o Brasil em mais de 400 regiões de saúde, montou-se a média diaia semanal. Depois, a variação da média sobre 14 dias anteriores. Finalmente, as regiões foram divididas de acordo com os níveis de crescimento da doença em cada uma: acima de 50% em 14 dias; entre 20 e 50%; entre 10 e 20%; entre 5 a 10% e abaixo de 5%.

O resultado mostra que quase 170 milhões de pessoas moram em regiões com níveis de crescimento da doença acima de 20% por 14 dias.

 

 

 

 

 

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora