Facebook derruba perfis ligados à família Bolsonaro e ao PSL

Levantamento revela 35 contas, 14 páginas, 1 grupo e 38 contas no Instagram ligados a políticos com comportamento 'inautêntico'

Jornal GGN – O Facebook anunciou a derrubada de uma rede de fake news e perfis falsos ligados ao PSL e à família do presidente Jair Bolsonaro.

De acordo com o jornal O Estado de São Paulo, os perfis também tem ligação com funcionários dos gabinetes do presidente, do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos), do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL) e dos deputados estaduais pelo PSL do Rio de Janeiro Anderson Moraes e Alana Passos, eleitos pelo PSL do Rio de Janeiro.

Ao todo, foram identificadas 35 contas, 14 páginas, 1 grupo e 38 contas no Instagram. As páginas no Facebook tinham 883 mil seguidores, enquanto as contas no Instagram tinham 917 mil seguidores.

O material que tais perfis postaram tinham informações relacionadas às eleições, além de memes políticos, críticas à imprensa, à oposição e material relacionado ao coronavírus.

No material postado estavam conteúdos relacionados às eleições, memes políticos, críticas à oposição, empresas de mídia e jornalistas, além de material relacionado ao coronavírus.

De acordo com o Facebook, parte do conteúdo havia sido removido da rede por violar os padrões de comunidade – apresentando discurso de ódio, por exemplo. As investigações e remoções ocorreram a partir da divulgação de notícias e referências ao tema durante a CPMI das fake news.

 

Leia Também
Quatro assessores de Carlos Bolsonaro tem sigilo quebrado
Moro diz que Lula e Bolsonaro são populistas “extremos” que “devem ser evitados”
Delegado da PF processa União por ter sofrido perseguição da Lava Jato
Do Banestado à Lava Jato: um dossiê sobre o passado de Sergio Moro

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Vídeo: Movimento negro, candidatura coletiva e feminismo para os 99%, com Paula Nunes

1 comentário

  1. Tudo isso ocorre por falta de punição efetiva.
    Maluco fala ou escreve o que quer sendo então aberto inquérito que, como demonstrado no caso do general, é arquivado por orientação do pgr, ou, como no do boca aberta weintraub, pede conta e, camuflado, mete o pé pro eua que, como no caso do jornalista trucidado na embaixada saudita, fica caladinho ante o criminoso de estimação, ou ainda como na tal sara, que agora se define psicótica, e do blogueiro bozoide, pego no pulo a caminho do paraguai, a primeira, sara, só ganhou tornozeleira e o segundo só foi impedido de usar o teclado.
    Tem ainda os deputados financiadores dos ataques que, como o “inquérito” se arrasta, tendem a voltar aos desmandos como visto no abaixo:

    https://g1.globo.com/politica/blog/andreia-sadi/post/2020/07/08/vice-lider-do-governo-bolsonaro-xinga-moraes-canalha-lixo-video-repercute-no-stf-e-no-planalto.ghtml

    Rato é assim, se o veneno nao matar fortalece bastante.
    Srs, querem um país minimamente habitável? Não permitam que os ratos percam o medo da ratoeira.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome