Fachin se pronuncia sobre caso Nelson Meurer

Em nota oficial, ministro do STF lamenta morte de ex-deputado e esclarece andamento de processo que levou à negativa dos pedidos de prisão domiciliar

Edson Fachin, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Jornal GGN – O ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), divulgou nota oficial onde expressou seu pesar pelo falecimento do ex-deputado Nelson Meurer, vítima de covid-19, além de esclarecer o andamento do processo que levou à negativa dos pedidos de prisão domiciliar solicitados pela defesa.

Em linhas gerais, Fachin manteve os argumentos usados em abril para negar o pedido de prisão domiciliar feito pela defesa de Meurer, destacando que não deixou de considerar a situação de vulnerabilidade do ex-deputado.

Além disso, Fachin ressaltou que, de acordo com as informações da Vara de Execuções Penais, o presídio em que ele cumpria pena – Penitenciária Estadual de Francisco Beltrão, no Paraná – não apresentava ocupação acima da capacidade.

“A decisão monocrática, sem olvidar do enquadramento de Nelson Meurer no grupo de vulnerabilidade, pautou-se na realidade apresentada pelo juízo corregedor de referida penitenciária, no sentido de que não se encontrava com ocupação superior à capacidade, destacando a existência de equipe de saúde lotada no estabelecimento”, diz o ministro do STF.

Confira abaixo a íntegra do comunicado emitido pelo ministro Luiz Edson Fachin

NotaGabineteEF

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Cilene Victor: Imprensa precisa criar narrativa contra a "fadiga da compaixão" na pandemia

8 comentários

  1. Mata e depois envia condolências à família. Este foi vergonhosamente cooptado pelo lavajatismo. Não tem justificava, seu fachin. Que horror, seu ministro.

  2. O fachin agora produz nota “explicando” o assassinato de um cidadão…
    Porque não tenta justificar para os familiares a tua sanha punitivista escrota que levou a morte de mais um ser humano ?
    Sabe dr fachin, agora que Inês é morta e o leite foi derramado é melhor ficar de bico calado !

    10
  3. Realidade prisional brasileiro pra lá de caótica/desumana e um ministro do STF acreditando que os condenados são bem cuidados, que recebem toda atenção necessária e garantidas pela Constituição, e que também não faltam médicos, enfermeiros e remédios

    Quem vê assim pode pensar que quase todos os presídios brasileiros não funcionam como verdadeiras de incubadores de doenças. Se falta até analgésico que custa R$ 10,00 a cartela, imagina remédios especiais e caríssimos.

    Caia na real, ministro, ou vá confirmar pessoalmente como anda a assistência à saúde dos condenados.

  4. A morte quando tem nome tem um peso muito maior do que as de centenas de pessoas que o judiciário está tirando da sucursal do inferno, que são as nossas cadeias, para mandar para o fim da vida. Porém Fachin conseguiu o indesejável para qualquer pessoa, colocou um nome, Nelson Meurer, numa das suas vítimas de seu julgamento completamente assassino. Ou seja, a decisão de Fachin de fazer que acreditava nas mentiras que o nosso sistema carcerário coloca como pretexto para os seus gestores não perderem seus empregos, agora tem um nome e durma com isso, assassino!

  5. Para ser Juiz não basta estar na Magistratura. É preciso, acima de tudo, ter vocação. Hoje, infelizmente, na grande maioria, é meio de prestigio, poder, emprego.

    Luiz Edson Fachin (STF) é juiz ?

    Não !

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome