Foi Boris Johnson que deu um golpe?

No Reino Unido há determinadas tradições que mesmo surpreendentes e os Ingleses de tão condicionados desde sua infância nem notam quão anacrônicas e fora do tempo que eles estão.

O último exemplo do “golpe” que o primeiro ministro inglês aplicou sobre todo o sistema é produto de um destes anacronismos da legislação inglesa, ou seja, uma rainha bloquear o funcionamento do parlamento por um dado período. Porém os poderes dos Reis da Inglaterra não são limitados a este ponto, havendo os chamados Queen’s “Order in Council” que quando emitidos pelo palácio de Buckingham só podem ser contestados pela “House of Lords” e não pela câmara dos Comuns (os eleitos pelo povo inglês) que para revoga-la terão que fazer uma lei específica contra ela.

Para ver que este anacronismo persiste até os dias de hoje, é a “Order in Council” que foi emitida em 2002 também a pedido do primeiro ministro para impedir que os Chagossianos, habitantes por três séculos das ilhas em que há a base norte-americana de Diogo Garcia no oceano índico que voltassem para sua casa. Este tipo de legislação pode ser emitido a pedido do primeiro ministro ou simplesmente por vontade do palácio de Buckingham.

Este tipo de lei, também foi utilizada para o início de uma guerra que é totalmente esquecida, a guerra de 1812 entre a Inglaterra e os Estados Unidos, e geralmente é utilizada para assuntos da Região da Commonwealth onde a rainha Elizabeth II é formalmente um monarca constitucional e chefe de Estado. Dentro desta região está incluído o Canadá, Austrália, Nova Zelândia e naturalmente o Reino Unido. Certamente para os países citados a ação da Rainha da Inglaterra respeita os parlamentos locais, entretanto para o caso dos Chagosianos e outra ilhas pequenas o respeito aos nativos é inversamente proporcional a área que possuem as possessões inglesas e diretamente proporcional aos interesses estratégicos do país ou de seus aliados mais próximos como os USA, por exemplo.

As pessoas podem perguntar o por quê deste anacronismo de um país que é considerado como uma grande democracia, há duas razões básicas, a primeira e mais importante é a presença da rainha da Inglaterra como chefe de Estado dos países de Commonwealth, mas a segunda e mais sutil é a doutrinação que os ingleses recebem desde pequenininhos sobre a Realeza. Para dar destaque a isto, conto um evento anedótico das filhas de um professor da minha universidade que estavam numa creche inglesa, enquanto ele fazia doutorado (com bolsa e pagamento de taxas da universidade pelo governo brasileiro), a mãe das meninas soube que todos os dias eles faziam uma cerimônia de lealdade a rainha a Inglaterra, ela como uma boa brasileira sem complexo de vira-lata, foi até a creche e exigiu que suas filhas fossem retiradas desta cerimônia, coisa que foi feita pela diretora. Porém o importante é destacar que desde a mais tenra idade os Ingleses são condicionados a simplesmente VENERAREM algo anacrônico e totalmente irreal como uma monarquia hereditária.

A partir do texto, a pergunta do título retorna: Foi Boris Johnson que deu um golpe? Ou simplesmente a aceitação de uma sociedade anacrônica em que alguém tem uma forma de poder simplesmente porque nasceu filha de alguém!

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora