Fora de Pauta

O espaço para os temas livres e variados.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Multimídia do dia

6 comentários

  1. O nosso presidente débil mental está governando o Brasil a partir de Washington.
    A última foto dele com Trump, os dois apontando os dedinhos para o futuro embaixador, o filho 03, ficou ótima.
    Melhor retrato da abobada subserviência brasileira, impossível.
    Depois, a inteligentíssima mensagem ao povo brasileiro: “A embaixada não é lugar de fazer política”.
    Pelamordedeus! Como é que um animal quadrúpede como esse chegou ao poder?

  2. OPORTUNISMO DE DALLAGNOL

    No passado recente, havia no Maracanã um restaurante popular financiado pelo Estado Rio de Janeiro em que cada pessoa pagava um real por almoço. Obviamente era destinado a pessoas pobres. Agora imaginem vocês se eu compro cem destes pratos por um real e revenda em outro lugar por dez reais? O que vocês pensariam de mim? Certamente um oportunista e canalha (a não ser, talvez, que eu passasse necessidades). Pois bem, Dallagnol fez mais ou menos isto, em maior escala quando comprou dois apartamentos do “Minha Casa, Minha Vida” destinados a população carente. Fez isto para especular e vender mais caro. Quando eu compro e vendo mais caro uma habitação popular, das duas uma, ou eu ganho dinheiro em cima da população carente que deveria comprar mais barato, ou eu estou revendendo a casa para uma pessoa não pobre e negando assim aos mais pobres uma moradia digna.

    Fonte: https://www.diariodocentrodomundo.com.br/exclusivo-dallagnol-comprou-apartamentos-construidos-para-o-minha-casa-minha-vida-por-joaquim-de-carvalho/

    Isto exemplifica bem a mentalidade oportunista de Dallagnol e a despreocupação com os problemas sociais com o país que a Lava-jato criou ao destruir a engenharia pesada no país desempregando diretamente centenas de milhares de pessoas e milhões de pessoas indiretamente.

    A própria carreira como procurador de Dallagnol já começou de forma antiética, fazendo jus ao ditado: “pau que nasce torno, nunca se endireita”. Ele já começou sua carreira, fazendo concurso mesmo e entrando no MP mesmo sem ter pré-requisito de experiência profissional. Como pai dele era um influente procurador, vocês acham que seria difícil conseguir uma liminar na justiça? Pois conseguiu e assim assumiu a vaga depois de passar no concurso público. Depois o judiciário disse que o fato estava consumado. Assim, desde início vemos indícios de conluio.

    Isto foi denunciado por Reinaldo Azevedo aqui no dia 24/07/2017:
    https://reinaldoazevedo.blogosfera.uol.com.br/2017/07/24/dallagnol-se-fez-procurador-contra-o-que-diz-a-lei-e-ficou-na-base-da-teoria-do-fato-consumado/

    COMO GANHAR DINHEIRO COM A LAVA-JATO

    Dallagnol e sua turma montaram um esquema quase infalível de ganhar dinheiro sem parecer ser corrupção:

    Passo 1 – Investiga-se, prende-se corruptos de verdade, usando-se métodos cujas legalidades são questionáveis.
    Passo 2 – Ao prender corruptos de verdade, justifica-se a perseguições de políticos importantes mesmo que não sejam corruptos, mas desafetos da grande mídia e de milhões de pessoas em nome do combate a corrupção.
    Passo 3 – Jogue a culpa da destruição de nossa indústria provocada pela Lava-jato na corrupção direcionando as ações ao PT, seus aliados e financiadores. A grande mídia faz o mesmo e ainda associa a crise à gestão petista. Sendo assim, o mal do Brasil passa a ser o PT.
    Passo 4 – Ao perseguir estes políticos importantes (neste caso ligados ao PT e o maior deles, Lula), ganha-se prestígio e fama de herói, alimentada pela grande mídia.
    Passo 5 – Com esta fama, cobra-se caro por palestras que são vistas cinicamente pelo poder judiciário e pelo Ministério Público como meras aulas.
    Passo 6 – Para ganhar mais dinheiro, pode-se criar uma fundação cujo laranja é um parente ou esposa, mas na prática é o procurador o dono e administrador. E assim cobrar o dinheiro que quiser pelas palestras sem pagar impostos. Dois crimes possíveis, sonegação de imposto, peculato, lavagem de dinheiro.
    Passo 7 – Pode-se achacar as empresas para financiar seu sistema de palestras como aconteceu com a Petrobrás. Haverá empresas que preventivamente pagarão por estas palestras em busca de proteção. Como se pode ver é um esquema mafioso.

    Há tempos que eu venho falando que palestras não podem ser consideradas aulas. Que professor ganha 30 mil por uma aula como no caso de Dallagnol? Acho que nem Noam Chomsky o maior intelectual de nossa era ganha isto em uma única aula de verdade. E qual é a matéria tão especial que este “professor” dava aula? Resposta: ser bem sucedido em sua carreira, ou seja, autoajuda.

    Já sabíamos pela Folha de São Paulo que Dallagnol recebia pelas palestras.

    Fonte: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/monicabergamo/2018/08/palestra-de-deltan-dallagnol-pode-chegar-a-r-35-mil.shtml

    Eugênio Aragão (ex-ministro da justiça e ex-procurador) no dia 18 de junho 2017 chegou a dizer em relação ao procurador:

    “Seu mais recente vexame como menino-propaganda da entidade para-constitucional “Lava Jato”. Coisa feia, hein? Se oferecer a dar palestras por cachês! Essa para mim é novíssima. Você, então, se apropriou de objeto de seu trabalho funcional, esse monstrengo conhecido por “Operação Lava Jato”, uma novela sem fim que já vai para seu infinitésimo capítulo, para dele fazer dinheiro?”
    https://www.diariodocentrodomundo.com.br/sobre-palestras-e-apropriacao-do-publico-pelo-privado-por-eugenio-aragao/?fbclid=IwAR3a_YvLoM3vi8jg9mgMrrKakRiIAxtK8FYi1t7lgzcABMeKB7kTkJqx2so

    Uma das poucas coisas que não sabíamos e que o Intercept revelou é que Dallagnol pedia presente para si e para a família como no caso do Resort em 2017. Coisa que acusaram Lula no caso do Triplex e do Sítio de Atibaia, mesmo quando a obra foi feita depois dele já ter deixado a presidência. Para os pavonetes histéricas é fácil de saber se esta informação é verídica ou não. Basta ver se o procurador esteve com a família no resort e ver pelos estratos bancários se Dallagnol pagou a hospedagem. Como vocês já devem saber, funcionário público não pode receber presentes caros.

    Obs. Mas do jeito que os bolsominions e lavajatistas não gostam de serem investigados, simplesmente vão dizer que é tudo invenção e fica por isto mesmo. Vale lembrar que os Bolsonaros eram contra o Foro Privilegiado, mas Flávio não teve dúvida em recorrer ao STF para buscar tal foro. Agora inclusive conseguiu bloquear até mesmo a investigação sobre ele e o Queiroz.

    Glossário:
    Pavonete – é um neologismo que eu criei para definir as tietes do Pavão Misterioso.

    PALESTRAS DO LULA

    Não à toa, os “lavajatistas” foram atrás das palestras do ex-presidente Lula. Como muita gente do judiciário e do MP usam as palestras como “cortina de fumaça” para receberem dinheiro ilegalmente, acharam que Lula fazia o mesmo como neste trecho da reportagem do GGN do dia 14 de outubro de 2016.

    “Apesar de formalmente justificados os recursos recebidos a título de palestras proferidas no exterior, a suspeita, derivada inicialmente das notícias jornalísticas, era de que tais contratações e pagamentos, em verdade, prestavam-se tão somente a ocultar a real motivação da transferência de recursos da Odebrecht para o ex-presidente Lula”, diz a nota.”

    Fonte: https://jornalggn.com.br/justica/procuradores-admitem-que-lula-e-indiciado-de-novo-por-pressao-da-velha-midia/?fbclid=IwAR1UoyDdWu6nNawad6P1wdiwp-fMttiYI9wKT5znoIvwniHHoNJldUtFLag
    Em sua ânsia persecutória, a Lava-jato escrúpulo em “ferrar” os funcionários do Instituto Lula, confiscando até o dinheiro de aposentadoria deles:

    Como dito neste artigo do GGN do dia 21 de julho de 2017:

    “Tratam-se dos planos de previdência complementar abertos pela pessoa física de Lula e pela jurídica, por meio da empresa de palestras, que era destinada aos empregados e dirigentes da LILS. “https://jornalggn.com.br/justica/sem-achar-nas-contas-de-lula-justica-bloqueia-previdencia-do-ex-presidente/?fbclid=IwAR0FbIRUZMrXFjzUFy5t6hlfQv9xOE3Ouy8xKKwJI78c74KjLYLBCZ69nOE

    A comparação de tratamento dada as palestras de FHC e Lula eram gritantes:

    1 – Nunca se questionou se as palestras de FHC existiram. A Lava-jato não teve escrúpulo em pôr em dúvida se as palestras existiram e vazar para a grande mídia antes mesmo de pedir provas da existência da palestra. De forma Canalha FHC disse: “A minha palestra eu dou e vocês assistem'”.

    Obs. Isto tudo fazia parte de trabalho de desgaste que a Lava-jato fazia, mesmo que a história fosse desmentida, isto ficava no inconsciente da opinião pública.

    2 – Nunca se questionou a ilicitude do dinheiro da origem do dinheiro das palestras em relação ao FHC.

    3 – FHC quando ainda era presidente, organizou um jantar para seu instituto. O que indicaria peculato. Lula não fez isto em seu mandato.

    Obs. O Instituto Lula era voltado para o combate a fome e o Instituto FHC é voltado para políticas neoliberais e antissociais.

    Não precisávamos do Intercept para saber que havia diferença de tratamento. O que o Intercept apenas revelou é que a parte do processo de FHC que estava já prescrita quando foi enviado para SP como forma de simular uma falsa imparcialidade da Lava-jato e mesmo assim, Moro ficou com medo de “melindrar” FHC.

    Também soubemos que ele reclamava de perder dinheiro com a Lava-jato. O mal acostumados Procuradores tinham truques institucionais para ganhar mais do que o próprio provento através de substituição de outros procuradores entre outros mecanismo. Sempre quando você faz algo ruim e tem alguma consciência, você precisa de uma justificativa moral, mesmo que seja uma medida compensatória sobre algo que em si é errado.

    FUNDAÇÃO LAVA-JATO

    Dallagnol, como bom oportunista, “esfregou as mãos” quando viu que a justiça americana dava a Lava-jato um valor de 2,5 bilhões diretamente da Petrobrás. O procurador foi com tanto “sede ao pote” e com a confiança que podia tudo, que foi à Caixa Econômica negociar os juros ao abrir a conta lá para depositar a dinheirama. Foi algo tão escandaloso que até a Procuradora Raquel Dodge, que não é conhecida por pôr freio na meninada de Curitiba, barrou o projeto.

    Resumindo a tarefa “patriótica” dos lavajatistas:

    1 – A Lava-jato passa por cima do ministério da justiça daqui, troca informações com o ministério público dos EUA, este ligado ao ministério da justiça de lá, portanto, ligado ao governo dos EUA.

    2 – As trocas de informações só desfavorecem nossas indústrias nacionais, a saber Petrobrás e empresas de engenharia pesada. Mais de 300 mil empregos diretos são perdidos, fora os indiretos e o efeito na economia como um todo é desastroso. Ao “queimar” as empresas brasileiras, automaticamente são favorecidas as empresas americanas concorrentes delas.

    3 – Ao dar informações estratégicas da Petrobrás ao MP dos EUA, acabou dando-as ao governo americano, o MP americano é parte do executivo de lá. Assim, sem necessidade de espionagem o governo americano recebeu de graça anos e anos de pesquisas científicas de uma empresa pública brasileira, fora os planos para o futuro da empresa.

    4 – Ao se denunciar uma corrupção superestimada, possibilitou-se que “fundos abutres” americanos processassem a Petrobrás no valor de 10 bilhões de reais. A Petrobrás sob a gestão de Pedro Parentes nomeado por Temer não recorreu e indenizou os acionistas americanos. E de quem veio dinheiro? De acionistas brasileiros. No final das contas, acionistas brasileiros, incluindo o Estado brasileiro (dinheiro nosso), pagaram a acionistas americanos por um prejuízo onde a Petrobrás não é culpada, mas vítima de corrupção.

    5 – A Lava-jato levou ao poder pessoas como Pedro Parente (Temer) e Roberto Castello Branco (Bolsonaro) com a única finalidade de desmontar a empresa e entregar os recursos naturais a petroleiras estrangeiras concorrentes da Petrobrás.

    6 – A destruição da economia brasileira serve ao interesse do Departamento de Estado Americano que não quer ver o Brasil como uma futura potência concorrente. Como disse Thomas Shannon:
    “O Brasil identificou o modo como a Venezuela direcionava sua indústria de petróleo de modo a se integrar com o mercado americano. Então, algo precisava ser feito para trazê-la à América do Sul”.
    ‘O pano de fundo era o projeto brasileiro de “construção de uma grande e coesa América do Sul”, diz Shannon’.

    Fonte: https://www.conjur.com.br/2019-jul-12/brasil-atrapalhava-planos-eua-america-sul-embaixador

    7 – Por todo este serviço, a justiça americana retira dinheiro a Petrobrás e entrega um fundo de 2,5 bilhões Dallagnol. Com este dinheiro, ele poderia dar palestras pagando para si mesmo e seus colegas e amigos valores milionários. Seria uma verdadeira orgia com o dinheiro público. Algum amigo me enviou a página do Dallagnol defendendo tal fundação pornográfica, na época eu disse:

    Dallagnol, Moro e sua equipe são realmente patriotas, em relação aos EUA, claro. Só lhes faltam cidadania. Merecem condecoração do governo americano. Moro deveria ter recebido tal condecoração quando visitou a CIA. Curiosamente esta visita feita às escondidas e fora da agenda foi revelada por Eduardo, nosso futuro embaixador, em um post no Twitter:
    “Indo agora com o PR @jairbolsonaro e ministros para a CIA, uma das agências de inteligência mais respeitadas do mundo. Será uma excelente oportunidade de conversar sobre temas internacionais da região com técnicos e peritos do mais alto gabarito”.
    Fonte: https://exame.abril.com.br/brasil/bolsonaro-faz-visita-a-cia-em-evento-fora-da-agenda-oficial/

    Lembrando, quando falo EUA, falo do governo e do Establishment Americanos. Os EUA são um país muito diversos. Existem americanos de coragem e valorosos como Glenn Greenwald. Provavelmente a maioria dos cidadãos americanos sejam pessoas de bem que não concordaria com tanta vilania se fossem expostos a verdade. Enquanto os brasileiros como Moro e Dallagnol destroem o país e se fazem de heróis, este Glen, um americano, defende o país, desnudando os hipócritas. Irônico, né? São americanos como Glenn Greenwald que fazem os EUA um país de grandes homens. Aos grandes americanos e humanistas não interessa os EUA desgraçando outros países com a desculpa de estar defendendo o interesse nacional.

    Uma vez um primo meu depois de ver um escândalo envolvendo um político moralista carioca comentou: “pode reparar os moralistas geralmente são os piores”.

  3. Ontem eu estava com 40 dias de sono acumulado e tentei dormir cedo, por volta das 17h30min, a fim não só de quitar meu débito sonífero mas também de acumular créditos com Morpheu, já que a noite é apenas uma criança. Mas a Mulher estava lá, com a televisão ligada, assistindo séries do Extremo Oriente. Eu mandava ela desligar a TV e vir me amamentar e me ninar, a fim de que eu me preparasse para a travessia de hoje. Eu mandava ela desligar o aparelho e ela fingia que nem me ouvia. Lembrei-me dos conselhos de Jesus Cristo: “Batei e vos será aberto” e continuei insistindo prá ela desligar a TV. Certa hora ela encheu o saco e disse: “Eu vou já desligar mas é tu e não a tv”. Aí eu, sem peito e sem cantigas de ninar me embucetei e anunciei a condição para a TV continuar ligada: Só se minha mulher parasse de assistir, se ela não parasse, eu desligaria. Dormi e acordei só uma vez durante o Reinado de Morpehu, e não foi prá fumar, foi prá urinar.

    De tanto encher o saco dela, ela disse que hoje eu não vou me internar.

    Lula Livre! $ Moro e Dallagnol na cadeia!

  4. Bom dia, Lazzari, e desculpe a minha insistência. Caso você passe por aqui, estou esperando sua resposta para o diálogo abaixo transcrito:

    Renato Lazzari 16/07/2019 at 18:23

    Não sou lulista nem petista; creio, sim, na impossibilidade fundamental de um acordo entre o capital e o estado e que, se é para um mandar no outro, que seja o estado regulando o capital. Nada de estatização dos meios de produção mas regulação rigorosa para evitar corrupção.

    Rui Ribeiro 17/07/2019 at 10:07

    Lazzari, você afirma:

    “Nada de estatização dos meios de produção mas regulação rigorosa para evitar corrupção”.

    Lazzari, você é contrário tanto à estatização quanto à socialização dos meios de produção?

    Prá você, o problema é a falta de regulação, sendo a corrupção apenas um sintoma desta falta de regulação

    Renato Lazzari 17/07/2019 at 12:40

    Creio que pleitear estatização e socialização dos meios de produção é caminhar no sentido oposto ao do socialismo no cenário atual pela reação que esse pleito provocaria nos entusiastas da iniciativa privada como panaceia para a Economia. E entusiastas da iniciativa inclui nós, que temos sido doutrinados, desde que não sabíamos nem que o estávamos sendo, para os dogmas do capitalismo: enaltecimento de um ego e um individualismo cuja importância não é consenso humano, por exemplo.

    Rui Ribeiro 18/07/2019 at 09:44

    Você acha que pleitear a continuidade da propriedade privada dos meios de produção no cenário atual equivale a caminhar no sentido do socialismo, já que, supostamente, o pleito de socialização de tais meios de produção no cenário atual significaria caminhar no sentido oposto ao do socialismo, em razão da reação que esse pleito provocaria nos entusiastas da iniciativa privada como panaceia para a Economia?

    Desculpe minhas perguntas, Mano

  5. Do alto da sua Olímpica $apiência, um Minion decretou:

    “Os invejoso derrotados falam mal dos EUA mas usam internet, Windows, Facebuk, Instagram, filmes de Hollywood, smartphone, tudo invenção americana”.

    Os Americanos também re-inventaram a roda?

    Não, mas as usam. Então se eles usam o que não inventaram, porque os outros não podem fazer o mesmo?

    Minion Gojoba

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome