Fora de Pauta

O espaço para os temas livres e variados.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Pressionado, governo desiste de transferir ossadas de Perus para Brasília

1 comentário

  1. Entrevista Perfil/Otavio Barros

    Conheça o jornalista
    que está no Tocantins
    antes mesmo da criação

    Francisco Pedro
    (Francisco é filho do Otávio e faz jornalismo na UFT)

    Jornalista coletou dados históricos em Portugal. E considerado a “história viva do Tocantins”.

    Natural de Ouricuri, Pernambuco, Otavio Barros da Silva é jornalista, escritor e historiador. Cursou Filosofia pela Universidade Federal de Pernambuco, mas não concluiu o curso. Após isso trabalhou como jornalista em oito estados até chegar a Araguaína no antigo Norte goiano em 1973. Nos anos 90 fez uma viagem a Portugal para pesquisar dados sobre a história do antigo Norte. Otávio possui mais de uma dezena de obras literárias publicadas a respeito da história do Tocantins.

    Desde a década de 70, Otavio Barros esteve sempre presente na luta para se criar o Estado do Tocantins, daí o nome de seu jornal “O Estado do Tocantins”, jornal fundado em 1956, pelo tipógrafo João Mattos Quinaud, em Porto Nacional.

    Como jornalista trabalhou em nove estados, até que em 1973 conheceu Araguaína onde fundou o jornal “Tribuna da Amazônia” (1973 a 1975). Em 1975 torna-se editor chefe do Jornal “O Estado do Tocantins”.

    Em Araguaína encontrou grande dificuldade para faturar o jornal, quando as empresas eram dirigidas por testas de ferro de Anápolis, Goiânia, Minas Gerais e S. Paulo.

    O juiz João Batista exigiu que os editais da Comarca não fossem mais publicados no “Correio Braziliense”, em Brasilia, e no “O Popular”, em Goiânia, mas nas páginas do jornal “O Estado do Tocantins”. Hoje o jornal tem a sede em Palmas, e circula em edição impressa e digital http://www.oestadodotocantins.com.br .

    Além de jornalista, também é escritor e historiador. Escreveu diversas obras que retrata o norte de Goiás antes de se tornar Tocantins.

    Nos anos 90 realizou uma viagem para coleta de dados históricos em Portugal, onde encontrou registros sobre Joaquim Theotônio Segurado até então desconhecidos em Goiás e Tocantins.

    Ele ressalta a importância desse momento histórico. “Em Goiás e no Tocantins não se sabia quem era Theotônio Segurado. A partir da minha pesquisa a vida de Segurado passou a ser registrado nos livros de história. Descobri a terra natal de Segurado, a Vila de Moura, próxima da Espanha, país vizinho a Portugal”.

    Otávio também escreveu diversas obras a respeito do Norte de Goiás e imprensa. Escreveu o primeiro livro sobre a história do Tocantins intitulado “Breve História do Tocantins” (1987). Segundo ele foi sua obra mais difícil por conta de viajar para quatro estados para realizar pesquisas – Rio de Janeiro, Pernambuco, Pará e Maranhão até que foi publicado em 1997, pela Federação das Indústrias do Tocantins.

    No ano seguinte a 2º edição do livro foi publicada. Após isso publicou a obra História da Imprensa no Tocantins, em 2003. E por fim, publicou mais sete obras inéditas sobre a história do Estado.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome