Fora de Pauta

O espaço para os temas livres e variados.

 

Leia também:  Defesa de Lula denuncia contradições da Petrobras nos EUA

5 comentários

  1. It’s the economy, stupid!
    Esta frase foi colocada pelo estrategista da campanha eleitoral de Clinton a Presidência da República na campanha em 1992, que junto com outras duas frases, a segunda sobre insistir no termo mudança sem precisar mudar nada e a terceira sobre a assistência médica.
    A frase sobre a economia lembrava Clinton que Bush que possuía uma popularidade de 90% devido a sua invasão do Iraque, passou em um ano para menos de 30%, e como o país estava em crise a sua base despencou.
    No Brasil, o atual ocupante do cargo da presidência teve no seu momento máximo uma aprovação, que forçada pela mídia que lhe dava apoio chegou a algo em torno de 60%, porém como uma pedra quando jogada deslizando sobre a água, faz tizim, tizim e timbum, afundando rapidamente. Pois no caso já estamos na fase do timbum e a medida que esta for afundando vai adquirindo uma velocidade constante até atingir o fundo.
    Se a oposição não fosse tão frouxa já apostava no mergulho pois não precisa muito para ir para o fundo e o pior, como a pedra é muito grande, vai fazer um vórtice e carregar toda a turma que está em volta, inclusive os militares que o apoiam, se alguém ler os comentários que saem em qualquer site sobre a ação do exército dos 80 tiros mostra como rapidamente a confiança do povo brasileiro nas forças armadas está caindo.
    Traições tão grandes como a do Padilha que está massacrando o seu ex-herói Moro, a grande esperança branca do partido do judiciário, mostra que o vórtice levará muitas pessoas junto.
    It’s the economy, stupid!

  2. It’s the economy, stupid!
    .
    Esta frase foi colocada pelo estrategista da campanha eleitoral de Clinton a Presidência da República na campanha em 1992, que junto com outras duas frases, a segunda sobre insistir no termo mudança sem precisar mudar nada e a terceira sobre a assistência médica.
    .
    A frase sobre a economia lembrava Clinton que Bush que possuía uma popularidade de 90% devido a sua invasão do Iraque, passou em um ano para menos de 30%, e como o país estava em crise a sua base despencou, mostrando que a simpatia das pessoas não mora em memes ou frases escatológicas, mas sim no bolso e como a economia vai muito mal, com tendência a piorar muito mais se a recessão que o Banco Mundial colocou como uma das pautas, a coisa no Brasil vai ficar muito feia.
    .
    No Brasil, o atual ocupante do cargo da presidência teve no seu momento máximo uma aprovação, que forçada pela mídia que lhe dava apoio chegou a algo em torno de 60%, porém como uma pedra quando jogada deslizando sobre a água, faz tizim, tizim e timbum, afundando rapidamente. Pois no caso já estamos na fase do timbum e a medida que esta for afundando vai adquirindo uma velocidade constante até atingir o fundo.
    .
    Se a oposição não fosse tão frouxa já apostava no mergulho pois não precisa muito para ir para o fundo e o pior, como a pedra é muito grande, vai fazer um vórtice e carregar toda a turma que está em volta, inclusive os militares que o apoiam, se alguém ler os comentários que saem em qualquer site sobre a ação do exército dos 80 tiros mostra como rapidamente a confiança do povo brasileiro nas forças armadas está caindo.
    .
    Traições tão grandes como a do Padilha que está massacrando o seu ex-herói Moro, a grande esperança branca do partido do judiciário, mostra que o vórtice levará muitas pessoas junto.
    .
    It’s the economy, stupid!

  3. Em maio teremos cinco meses da divulgação da grana envolvendo assessores na Alerj. Por mais que procure não encontro notícias sobre depoimento dos mesmos. Não sou do ramo, mas fica a pergunta: demora mesmo esse tanto?

  4. Houve tempo neste Brasil em que havia interessados em saber se o judiciário estaria trabalhando bem, ou mal. Pelo menos em termos de andamento de processos. Havia até quem publicava listas dos processos por ordem de antiguidade.
    Estas listas sumiram? Foram proibidas? Nunca mais se falou disso.
    Quando as mídias falam em atrasos no julgamento dos processos judiciais é casualmente, como quando mencionaram a tal ação da princesa Isabel, julgada pelo STF, 123 anos depois de proposta.
    Hoje em Belo Horizonte o jornal O Tempo noticiou o caso das famílias que serão removidas de terreno no bairro Santa Teresa em razão de decisão judicial em ação que teve início nos anos 1970:
    https://www.otempo.com.br/cidades/justi%C3%A7a-manda-despejar-16-fam%C3%ADlias-no-bairro-santa-tereza-em-bh-1.2170954

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome