Fora de Pauta

O espaço para os temas livres e variados. Podem ser colocados aqui os vídeos e as notícias em geral. Deixe sua dica nos comentários.

O espaço para os temas livres e variados. Podem ser colocados aqui os vídeos e as notícias em geral. Deixe sua dica nos comentários.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Fora de Pauta

6 comentários

  1. A desintegração e o desmanche da Petrobras podem levar o Brasil a ser uma nova Nigéria, afirma professor do IFF https://clickpetroleoegas.com.br/a-desintegracao-e-o-desmanche-da-petrobras-podem-levar-o-brasil-a-ser-uma-nova-nigeria-afirma-professor-do-iff/

    A desintegração e o desmanche da Petrobras podem levar o Brasil a ser uma nova Nigéria, afirma professor do IFF

    Foto : Petrobras – Nigéria –
    Roubo de petróleo na Nigéria

    Segundo o professor e engenheiro, a Petrobras está vivendo uma enorme desvalorização, algo semelhante ao que ocorreu no inicio da crise do petróleo na Nigéria.

    O Professor afirma que o processo de desinvestimento em massa da líder de mercado Petrobras é um dos principais causadores do processo chamado por ele de “nigerização”, onde o brasil poderia se tornar a nova Nigéria.

    Professor afirma que estamos vivendo um processo de

    A discussão do tema não se refere a tratar a Nigéria com menosprezo, mas sim abordar por o tema com uma visão mais aprofundada a respeito do país que exporta petróleo cru juntamente a Petrobras.

    A venda dos ativos da Petrobras que anteriormente foram chamados de desinvestimentos possuem total contribuição para o que aqui chamamos de processo de “nigerização”, todas as vendas de ativos acabam transformando o Brasil em uma nova Nigéria.

    Desinvestimentos da Petrobras
    O professor afirma que podemos observar que um dos principais fatores que influenciaram e continuam influenciando para que o Brasil se torne a próxima Nigéria foram os desinvestimentos em massa da líder de mercado Petrobras.

    O fatiamento e o desmonte criminoso da Petrobras que estão sendo vendidos em um momento de baixa, agora o que resta para os brasileiros são apenas as unidades já prontas, outrossim controladas por empresas estrangeiras.

    Coisas que antes cabiam a Petrobras agora estão entregues de xepa, todas as descobertas vendidas a preço de banana.

    Empregos no Brasil são levados na medida em que os novos donos assumirem
    Os novos donos dos ativos que antes pertenciam a Petrobras começaram a empregar pessoas das suas nacionalidades na medida em que comprarem novos equipamentos.

    Para finalizar a sua fala o professor afirma que os brasileiros preferem retornar a condição de colônia, o que seria uma espécie de condado ou protetorado, e acrescenta: que seria bem melhor que a Petrobras ficasse, mas nada pode ser feito agora e o que resta é esperar um processo de nigerização ou melhor dizendo “brasileirização”.

    Brasil vai retornar à condição de colônia?
    O professor deixa a entender que estamos vivenciando um processo de descolonização, desinvestimentos, empresas estrangeiras assumindo ativos importantes que antes geravam empregos e qualidade de vida aos brasileiros que futuramente serão assumidos por6 pessoas de nacionalidades diferentes.

    Dado o processo de “nigerização” como o professor afirma, ele resume que o mercado brasileiro não apenas de petróleo e gás, já tiveram a chance de se tornar uma grande potencia, mas que futuramente tudo que foi investido e descoberto por séculos pode ir por agua abaixo.

  2. Recebi vídeo onde um jornalista (Hélio Nogueira) apresenta algumas informações sobre a concessão ganha pela Isolux (Amapá) e como a Sudam contribuiu para tal. Julgo interessante uma reportagem mais profunda. Aqui seria o local ideal.

  3. BOULOS TEM TEMPO PARA VIRAR?

    Pela últimas pesquisas datafolha, a virada já está em andamento. Agora, considerando a quantidade de eleitores em São Paulo Capital (8.886.3250), e uma provável abstenção de 25% (contando aí votos em branco, nulos e ausência o eleitores às urnas) temos aí um universo de aproximadamente 2 milhões de eleitores a serem conquistados, sem contar com aqueles votos dos indecisos que até domingo, na hora da votação, poderão ser roubados do Bruno Covas.

    Considerando uma diferença de 10% entre os dois candidatos (Boulos 45% e Covas 55% de votos úteis, segundo o último datafolha), e o provável percentual de leitores presentes às urnas no 2º turno, a metade desses 10% corresponde a cerca 350 mil eleitores votantes. Arredondando, 400 mil: essa é a quantidade de eleitores a serem conquistados por Boulos até domingo próximo para se eleger prefeito de São Paulo, considerando a
    atual velocidade de desidratação ou estagnação da candidatura Covas.

    Temos muito pouco tempo pela frente, mas é possível. Inclusive porque o datafolha pode ter subestimado o percentual atribuído a Bolos na última pesquisa (45%), dentro da margem de erro, e superestimado o percentual do Covas, também dentro da margem de erro. Nesse caso o Boulos já estaria tecnicamente empatado com o Covas a essa altura do campeonato, mas a manipulação não permite que esses dados venham à tona. Eles sempre fazem isso quando um candidato de esquerda ameaça, na última semana de campanha, um candidato de direita.

    Infelizmente eu só posso torcer pelo Bolos, porque não moro em SAMPA.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome