Fora de Pauta

O espaço para os temas livres e variados. Podem ser colocados aqui os vídeos e as notícias em geral. Deixe sua dica nos comentários.

O espaço para os temas livres e variados. Podem ser colocados aqui os vídeos e as notícias em geral. Deixe sua dica nos comentários.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Fora de Pauta

4 comentários

  1. QUEM ESTÁ INSENTIVANDO POR FOGO NA AMAZÔNIA, NO PANTANAL E NO BRASIL É O BOLSONARO E OS GENERAIS HELENO E MOURÃO, PRINCIPALMENTE. OS FAZENDEIROS SÃO INSENTIVADOS A ACENDEREM AS TOCHAS.

    O massacre dos povos indígenas pelo bolsonarismo e a flechada mortal no indigenista Rieli

    DCM entrevista Felipe Milanez
    https://youtu.be/zxK7685igl8

    20 BILHÕES DE TONELADAS DE ÁGUA POR DIA

    Pela transpiração, as folhas se encarregam de espalhar a umidade na atmosfera. Estima-se que, diariamente, cada árvore amazônica bombeie, em média, 500 litros de água, o que torna a Amazônia inteira responsável por levar 20 bilhões de toneladas de água por dia do solo até a atmosfera, como mostra este vídeo:

    https://youtu.be/36OHZmAPJzc

    Se você mora em São Paulo e gosta de tomar banho, medite.

    O USO DO MERCÚRIO NO GARIMPO DO OURO

    Para garimpar ouro, é necessário utilizar o Hg (mercúrio), elemento químico extremamente nocivo à saúde do garimpeiro e da população vizinha onde o processo de recuperação do ouro ocorre. O mercúrio amalgama o ouro (forma um película cinza sobre a pepita), o que facilita a identificação do ouro durante a cata. Para recuperar a pepita, o garimpeiro usa um maçarico e o Hg é evaporado (vai para a atmosfera). Vai também contaminar as águas e os fundos dos rios, e certas espécies de peixes, como explica o reporter Luis Carlos Azenha, neste vídeo de uma série de 4: contaminação do ar + contaminação das águas + contaminação dos peixes = contaminação dos homens e das mulheres e de outros tipos de animais. Veja este vídeo:

    https://youtu.be/ggP091tjA6o

  2. ENVENENAMENTO POR MERCÚRIO: DESASTRE DE MINAMATA – JAPÃO

    Desastre de Minamata é a denominação dada ao envenenamento de centenas de pessoas por mercúrio ocorrido na cidade de Minamata, no Japão.

    A Doença de Minamata é uma síndrome neurológica causada por severos sintomas de envenenamento por mercúrio. Os sintomas incluem distúrbios sensoriais nas mãos e pés, danos à visão e audição, fraqueza e, em casos extremos, paralisia e morte.

    Em dezembro de 1956, quatro pacientes de Minamata, Japão, uma cidade na costa ocidental da ilha de Kyushu, foram internados no hospital. Os médicos ficaram confusos com os sintomas que os pacientes tinham em comum: convulsões severas, surtos de psicose, perda de consciência e coma. Após, febre muito alta, todos os quatro pacientes morreram.

    Começo da história

    Uma Indústria lançava dejetos contendo Mercúrio na baía da Minamata desde 1930. Somente 2 décadas depois, começaram surgir sintomas de contaminação: peixes, moluscos e aves morriam. Em 1956 foi registrado o primeiro caso de contaminação humana – uma criança com danos cerebrais. Muitos casos foram observados depois desta data e a moléstia ficou conhecida como Mal de Minamata.

    Envenenamento por mercúrio
    Os médicos ficaram chocados pela alta mortalidade da nova doença: ela foi diagnosticada em treze outras pessoas, incluindo alguns de pequenas aldeias pesqueiras próximas de Minamata, que morreram com os mesmos sintomas, assim como animais domésticos e pássaros. Foi descoberto que o factor comum de todas as vítimas era que todas comeram grandes quantidades de peixes da Baía de Minamata. Pesquisadores da Universidade Kumamoto chegaram à conclusão que o mal não era uma doença, mas sim envenenamento por substâncias tóxicas. Tornou-se claro que o envenenamento estava relacionado à fábrica de acetaldeído e PVC de propriedade da Corporação Chisso, uma companhia hidroeléctrica que produzia fertilizantes químicos. Falar publicamente contra a companhia era proibido já que ela era um empregador importante na cidade. Com o tempo, a equipe de pesquisa médica chegou à conclusão que as mortes foram causadas por envenenamento com mercúrio mediante consumo de peixe contaminado; o mercúrio era usado no complexo Chisso como catalisador. Por isso deve-se tomar cuidado com o destino final dado às lâmpadas fluorescentes e fosforescentes queimadas, pois se lançadas em locais inapropriados podem quebrar-se, libertando vapor de mercúrio e trazendo riscos à saúde e ao meio ambiente.

    A Síndrome de Minamata demora 20 anos para se manifestar após o início da contaminação.

    Vítimas
    No total, mais de 700 pessoas morreram com dores severas devido ao envenenamento. Em 2001, uma pesquisa indicou que cerca de dois milhões de pessoas podem ter sido afetadas por comer peixe contaminado. No mesmo período de tempo, foi reconhecido que 2.955 pessoas sofreram da doença de Minamata. Destas, 2.265 viveram na costa do mar de Yatsushiro.

    Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Desastre_de_Minamata#ata.

  3. Ouvi o argumento e olhei para a face do sujeito: ele estava crendo no que dizia.
    A terra é plana, sim – falou com fúria e ênfase. E continuou: você já viu alguém chamar a terra ou Marte ou Júpiter de boleta, ou redondeta?
    Se chamam a Terra de “planeta” é porque é plana, oras!!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome