FUI E SOU UM SOPRO

UM SOPRO

 

 

Na morte vem a vida que traz a morte que leva à…

Este mundo imundo fascina todos que chegam para partir,

Eu rumo sem direção combatendo em paz

Para sobreviver ileso a tudo e a todos.

 

Minha desgraça é sua alegria,

Minha fé para você é crendice

Mas, percebo que você nada oferece

Por nada ser ou nada possuir.

 

Vivendo para morrer solitário em época de festas,

Putrefato e poluindo o lençol freático,

Carregando os meus pecados humanos

De querer ser filho de algo maior

Enquanto meu espírito pensamento

Vaga invisível um universo inteiro

Em todas as direções

Por todas as dimensões,

Sei lá.

Nada me pertence,

Nem o meu destino

Apenas vim, estou e vou

Como fui e sou um sopro.

9/8/2010 17:55:21

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome