Gestão Dória poderá fechar a Casa Mário de Andrade

O corte de 23% incidirá sobre a rede de museus literários do estado administrados pela Poiesis (Casa das Rosas, Guilherme de Almeida e Mário de Andrade)

Jornal GGN – O corte de 23% decretado pelo governador João Doria Jr. provavelmente provocará o fechamento da Casa Mário de Andrade. O corte incidirá sobre a rede de museus casas literárias do governo do estado administrados pela Poiesis (Casa das Rosas, Casa Guilherme de Almeida e Casa Mário de Andrade).

No balanço feito, o diretor Marcelo Tápia Fernandes informou que o corte representa R$ 1,5 milhões, “uma Casa Mário mais R$ 400 mil”. O orçamento anual da casa é de R$ 1,1 milhão. Pelos sinais emitidos, Tápia fecharia a Mário de Andrade, mantendo as duas restantes.

Acontece que na Mário de Andrade abriga parte do acervo do escritor (a maior parte está no IEB-USP desde a década de 1960 por intermédio do professor Antônio Cândido) incluindo as estantes que o poeta mesmo projetou para sua residência, um dos óculos que pertenceu a ele e o piano que ele lecionava em sua casa. Na década de 1970, a Casa foi sede do teatro escola Macunaíma, com Miriam Muniz à frente. Ali também foi ensaiado por Naum Alves de Souza o espetáculo Falso Brilhante que mudaria a carreira de Elis Regina.

Desde 2018 a casa passou de quarta oficina cultural da cidade para museu. No período, apresentou shows como o de Antônio Nóbrega e cursos sobre patrimônio, arte popular e educação.

A decisão de fechar ou não a Casa dependerá de Tápia e do diretor da Poiesis, ex-Ministro Clóvis Carvalho.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Para não atrapalhar impeachment, Lava Jato escondeu delação contra Temer

4 comentários

  1. Essa gente só sabe falar em fechar e cortar. Fariam muito bem se fechassem a boca e cortassem suas próprias línguas.

  2. Um absurdo sem tamanho e espero sinceramente que não se concretize. Preservar a casa Mário de Andrade é dever de todos e devemos deixar bem claro às autoridades que não queremos o seu fechamento. Estive lá no ano passado e na ocasião refleti o quão importante é preservar para desfrutar e entregar as gerações seguintes tudo que nos enche de orgulho. A história cultural do nosso país é um exemplo disso: Já foi brilhante e rica graças à pessoas valorosas como o Mário. A casa sem dúvida representa ainda um pouco daquilo que nos resta de dignidade cultural. Hoje, nosso país é de uma pobreza cultural lamentável. Fechar a casa, é bater a porta na nossa cara também e negar acesso ao que é direito de todos: nosso patrimônio cultural.
    Que as autoridades tenham vergonha desse gesto e se o fizerem que entrem para a história do país como covardes sem valor que merecem a poeira do esquecimento por justiça , coisa que o Mário não fez e por isso até hoje é lembrado.

  3. Sobre os museus-casas literários de São Paulo: na verdade, estamos nos empenhando fortemente para encontrar meios de manter as três casas funcionando, ainda que com diminuição de atividades, inevitável pelo grande impacto do corte orçamentário. Embora o valor do corte seja, de fato, superior a toda a verba destinada à Casa Mário de Andrade, fechá-la ao público seria um retrocesso inadmissível, ainda mais considerando-se tudo o que foi desenvolvido na Casa desde que ela se tornou museu, há dois anos.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome