GGN Covid: as dúvidas sobre a disparada de casos em São Paulo

Até uma semana atrás, parecia que a curva de novos casos em São Paulo tinha assentado. Quando se analisa agora, com a desova dos últimos dias, ela volta a crescer agudamente.

Nos estudos do GGN sobre o Covid-19, há dados curiosos sobre São Paulo. Confira a investigação.

  1. Selecionamos as 10 regiões de saúde de maior população. São elas:2.
  2.  Estimamos a curva de crescimento dos novos casos (pela média diária semanal) nos últimos 14 dias. Deu um crescimento expressivos nos últimos dias. 3. Ai, fomos conferir na tabela original do Ministério da Saúde. E identificamos um enorme descarrego de dados no dia 4 de agosto, ontem.

Aí ficou a dúvida. Por que esse descarrego em praticamente todas as regiões? Até uma semana atrás, parecia que a curva de novos casos em São Paulo tinha assentado. Quando se analisa agora, com a desova dos últimos dias, ela volta a crescer agudamente. A desova da ontem foi normal, mas uma semana antes, no dia 27 de julho, chegou a 42.990 novos casos.

Recentemente, o El Pais revelou mudança nos critérios de divulgação dos casos em São Paulo, provocando confusão nas estatísticas.

Quando se analisam os óbitos, ocorre a mesma coisa.

Há um descarrego no dia 4…

… que provoca um aumento substancial da média diária semanal. Em relação a 7 dias atrás, houve aumento em 7 das 9 regiões mais populosas. Em relação a 14 dias atrás, em 6 das 9.

O que chama a atenção é que a decisão de volta às aulas se baseava na expectativa de redução de casos e óbitos.

De qualquer modo, tentaremos obter explicações da Secretaria da Saúde de São Paulo sobre essas discrepâncias.

5 comentários

  1. Toda EUROPA desfrutando de Altas Temperaturas e Férias de Verão. Gigantescas Manifestações pelas ruas de Berlim, por toda Alemanha e Áustria, contra a Indústria do Caos e Histeria com ‘Gripezinha de Inverno’. É um ‘gado’ este Povo Alemão do Bolsonaro. É lógico que deve ser culpa do Bolsonaro !!! A Imprensa Brasileira, o ‘Consórcio da Imprensa’ escondendo as Notícias e a Europa, de forma descarada e canalha, enquanto infla a histeria. Vocês já viram na História um Órgão Oficial de Representatividade Planetária como OMS, tentar inflar e aumentar a histeria e o caos a respeito de alguma doença ou crise? É logico que não !! Então a pergunta que se faz, porque agora esta atitude de OMS? Não o fizeram com AIDS nem com Ebola. O caos e o medo nunca são a melhor estratégia. Então porque esta estratégia, agora? O Garoto de Brasília mordido por uma cobra e a tal cobra não saem dos noticiários, enquanto a barbárie, a bandidolatria, o cangaço urbano tomam conta do estado de SP, em especial e de forma inaceitável na cidade de Botucatu/SP. Nada na Imprensa? Mas a cobra de Brasilia….Corrupção, crimes, roubos, superfaturamentos milionários, hospitais de campanha milionários, vazios, desnecessários, milhões e milhões descobertos em desvios nos Governos Witzel e Dória em SP e RJ. E tudo devidamente acobertado e desaparecido na Imprensa Brasileira. FAKE NEWS que já dura 90 anos, acobertando a NecroPolítica de farsante Redemocracia. Pobre país rico. É isto que Profissionais da Imprensa deixarão para Filhos e Netos? Mentiras e Cumplicidades? Mas de muito fácil explicação.

  2. Por isto que profissionais da saúde mais realistas, indicam que a mais efetiva forma de cuidar para controlar seria a dos registros de sintomas, testando no início as pessoas que apresentarem uma sintomatologia de inoculação do vírus. Com os números aumentados, de início o governo federal ficou com vergonha e receio de que as dezenas de milhares de mortes aparentes pelas tabelas nas mídias lhes desgastassem. Agora vemos governadores passando pelo mesmo dilema e se iludindo que manipular para baixo um pouquinho vai lhes diminuir responsabilidades e culpas. A questão dos epidemiologistas é mais por ordem clínica e de real interesse em controle, já que sem controle haverão cada vez mais mortes, sejam as pessoas testadas ou não e a testagem é em nível baixo em todo o país. O controle dos sintomas, e o país com o sistema das unidades de saúde poderia fazer, dá chance de cuidar antecipadamente dos casos graves ou sem gravidade e antecipar-se aos alastramentos. Identificaria melhor regiões e locais de surto. Mas como este não parece ser o caminho escolhido por muitos governos e assim, que lidemos com o continuado ritmo de mil mortos por dia. A cada novo mês, pelo menos 30.000 óbitos no país (fora os não contabilizados) e com o passar do dia e a crise econômica avassalando as famílias. Até que uma vacina funcional possa ser uma chance de melhor controle, já que medicamentos e tratamentos, devido a complexidade do ataque do vírus no corpo humano, dão a impressão de que não vão poder cumprir com a melhora em muitos casos. Neste ritmo de descontrole, até dezembro o país terá por volta dos 200.000 óbitos por covid.

  3. Seria interessante ver as estatísticas de morte de outras doenças,se há anormalidades tb,mas pelo jeito não será o caso,querem acreditar q o corona mata,mata,mata(1%),muita gente morre,morre,morre(1%)haja tanto caixão, caixão, caixão, já entendi, q 1,5 milhão de desempregados em 3 meses foi pouco,precisa mais 1,5 milhão pra já, então Lockdown severo ué,vidas é q importam e não o q ocorre na Suécia e etc..METAM A CARA NAS ESTATÍSTICAS DA INTERNET(de quem avisou q ia fazer isso à temposkkk)
    Obs:Nós do povão morreremos de corona com muito prazer,pensa q ligamos pra isso,como já disse aqui,o Brasil já virou selvagem faz tempo, não deram condições de ficarmos em casa,já era !
    Obs2:Me dêem licença agora,vou pra selva de pedra enfrentar este vírus gosmento e nojento da mídia,ôôôôôôôô(não tenho tempo de cagar de medo destas operações psicológicas pra meter medo e pânico de um vírus de LETALIDADE de menos 1%, vão em frente,fiquem em casa,pra mim não dá,e eu ainda COVID vcs a sair à rua !!

    3
    4
  4. Nassif, respeito muito seu blog e acho o mais informativo de todos, pela variedade de temas abordados por prismas que incluem também, a política, a filosofia e a psicologia.
    Contudo, espero uma autocrítica sua no que diz respeito a um artigo no qual você aponta o presidente da Camara à frente de um pacto que reúna as forças democraticas pelo restabelecimento da normalidade institucional e do Estado de Direito. Maia não é desse time. Não vê motivos pelo impeachment do genocida, mas viu motivos pelo impeachment de Dilma. Fala sério!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome