GGN Covid: as dúvidas sobre a disparada de casos em São Paulo

Até uma semana atrás, parecia que a curva de novos casos em São Paulo tinha assentado. Quando se analisa agora, com a desova dos últimos dias, ela volta a crescer agudamente.

Nos estudos do GGN sobre o Covid-19, há dados curiosos sobre São Paulo. Confira a investigação.

  1. Selecionamos as 10 regiões de saúde de maior população. São elas:2.
  2.  Estimamos a curva de crescimento dos novos casos (pela média diária semanal) nos últimos 14 dias. Deu um crescimento expressivos nos últimos dias. 3. Ai, fomos conferir na tabela original do Ministério da Saúde. E identificamos um enorme descarrego de dados no dia 4 de agosto, ontem.

Aí ficou a dúvida. Por que esse descarrego em praticamente todas as regiões? Até uma semana atrás, parecia que a curva de novos casos em São Paulo tinha assentado. Quando se analisa agora, com a desova dos últimos dias, ela volta a crescer agudamente. A desova da ontem foi normal, mas uma semana antes, no dia 27 de julho, chegou a 42.990 novos casos.

Recentemente, o El Pais revelou mudança nos critérios de divulgação dos casos em São Paulo, provocando confusão nas estatísticas.

Quando se analisam os óbitos, ocorre a mesma coisa.

Há um descarrego no dia 4…

… que provoca um aumento substancial da média diária semanal. Em relação a 7 dias atrás, houve aumento em 7 das 9 regiões mais populosas. Em relação a 14 dias atrás, em 6 das 9.

O que chama a atenção é que a decisão de volta às aulas se baseava na expectativa de redução de casos e óbitos.

De qualquer modo, tentaremos obter explicações da Secretaria da Saúde de São Paulo sobre essas discrepâncias.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora