Giro Econômico GGN: veja o que aconteceu nos mercados internacionais

Expectativa em torno do andamento da eleição à presidência dos Estados Unidos afetou ritmo das negociações das bolsas pelo mundo

Foto: Reprodução

Jornal GGN – As eleições presidenciais nos Estados Unidos foram o ponto de referência das bolsas de valores pelo mundo, que aguardavam a divulgação dos resultados de uma disputa que se mostrou mais disputa do que o inicialmente previsto.

Nos Estados Unidos, a indecisão em torno do próximo presidente do país não impediu o mercado local de apresentar seu melhor resultado pós-votação em mais de 100 anos. Segundo o Market Watch, o Dow Jones Industrial Average (DJIA) avançou 1,58%, enquanto o índice S&P 500 SPX disparou 2,40%, e o Nasdaq Composite Index subiu 3,77%.

Embora o resultado final não tenha sido divulgado, analistas em Wall Street apostam na vitória de Biden, enquanto os republicanos seguem com o controle do Senado – o que é visto como algo positivo por limitar o controle do próximo presidente no que se refere ao aumento de impostos corporativos, à revisão tributária dos republicanos e promulgação de regras mais severas sobre os setores econômicos, incluindo as empresas de tecnologia.

Os ganhos no mercado acionário também foram vistos na Europa: de acordo com a agência de notícias Reuters, o índice pan-europeu STOXX 600 .STOXX subiu 2,1%, enquanto o DAX .GDAXI alemão ganhou 2% e o FTSE .FTSE do Reino Unido subiu 1,7%.

As operações europeias ganharam força no começo na semana diante das expectativas em torno de uma vitória de Biden, que poderia melhorar os laços comerciais dos europeus com Washington, além da adoção de um pacote fiscal maior por conta da pandemia do coronavírus. Contudo, os mercados chegaram a apresentar fortes perdas no momento em que Trump assumiu a liderança sobre o seu rival do Partido Democrata em diversos estados importantes, contrariando as pesquisas eleitorais, que colocaram Biden na liderança em todo o país nos últimos meses. Os índices absorveram tais notícias e acabaram fechando o dia em alta.

Na Ásia, as bolsas fecharam as operações em alta na sua grande maioria, com os investidores acompanhando o andamento das eleições norte-americanas – a maioria das pesquisas eleitorais apontava a vitória de Biden, mas Trump chegou a declarar vitória em discurso e que iria à Suprema Corte contestar o que considera “fraude enorme” na eleição presidencial.

Segundo o jornal O Estado de São Paulo, o índice japonês Nikkei subiu 1,72% em Tóquio, atingindo o maior nível em nove meses. Na China continental, o Xangai Composto teve ganho de 0,19%, e o Shenzhen Composto avançou 0,31%. Já o índice sul-coreano Kospi se valorizou 0,60% em Seul, e o Taiex registrou alta de 1,04% em Taiwan, a 12.867,90 pontos.

Na outra ponta, o índice Hang Seng caiu 0,21% em Hong Kong, puxado pela queda de 7,54% das ações da Alibaba, a maior desde que suas ações começaram a ser negociadas em bolsa, no fim de 2019.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome